Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Conversas e Café

O conceito de amor próprio

Mas qual é o mal de se olhar ao espelho e dizer "És tão linda/o"? E qual é o mal de repetir isso vezes e vezes sem conta? Será que se deve considerar uma pessoa convencida quando pensa isso de si mesma? Ou será que é apenas o seu ego que está tão elevado ao ponto de cegar a razão e falar por si? Ou será, simplesmente, o nosso amor próprio? 

Das três, eu escolho amor próprio, sem dúvida. Nos tempos de hoje esta expressão de amor próprio está tão fatigada ao ponto de ser considerada banal, ou um luxo. As pessoas arranjaram sinónimos que nem têm nada haver com esta expressão de modo a rotulá - la. Seguindo o raciocínio destes seres pensantes e dotados em não pensar, amor próprio é o mesmo que ego, é o mesmo que dizer "pessoa convencida". Não, não é, são apenas rótulos que a sociedade em pleno século XXI faz questão de atribuir de forma triunfante e gloriosa. 

Portanto, eu ao dizer "Sou tão linda" estou a reacender, dentro de mim, a chama de amor próprio, de autoestima e auto aceitação. Posso não ser "linda" aos olhos dos outros, podem atribuir-me até mil e um defeitos. Mas aos meus olhos, mesmo consciente das minhas imperfeições, dos meus defeitos, do meu feitio, das minhas qualidades, eu consigo admirar-me, valorizar-me e ainda, o mais importante, AMAR - ME, como nunca ninguém alguma vez me amará. 

E com estas minhas últimas palavras, cai o Carmo e a Trindade. É difícil aceitar esta verdade, eu sei. Nós seres humanos que procuramos incessantemente por alguém que nos ame, que nos complete, a nossa cara metade, quiçá. Já pararam para pensar que elas não nos amaram tal e qual como queremos ser amadas? Ah pois. O amor que recebemos dos nossos pais, da nossa família, dos nossos amigos ou até mesmo da nossa cara metade, nunca será igual e tão intenso como o amor próprio. Daí eu dizer e voltar a repetir, jamais alguém nos  amará como nós próprios nos amamos. Se estiverem com um vazio no coração, a sentirem - se sozinhos e/ou incompletos, então estão a amar-se muito mal. Ninguém necessita de um príncipe ou uma princesa encantada na sua vida para se sentir completo e realizado. Claro que é sempre bom ter alguém que nos faça sentir importantes e especiais. Necessitam de saber olhar para vocês com os vossos olhos e não com os olhos dos outros. Olhar e ver o vosso potencial e aceitarem-se tal e qual como são.

Amor próprio é isso. Reconhecer, aceitar e melhorar. Um trabalho contínuo, de pura evolução. Um trabalho que completa o vazio no coração. 

Sejam felizes e lutem, sobretudo, por vocês. 

“Preciso mudar, ainda não sou eu”

23EDC661-AF92-4043-858E-9CCA4BB6CEF4.jpeg

Porque todos os dias permite-nos evoluir. Porque todos os dias podemos ser um pouquinho melhor que o dia anterior e marcar pela diferença. Porque somos humanos, erramos, crescemos e aprendemos. Porque num mundo em constante mudança, também precisamos de nos adaptar de modo a acompanhar esta evolução sem perder o rumo. Porque mudar, não é errado. Se ainda não somos quem pretendemos ser, e se ainda estamos vivos, é sinal que ainda temos uma oportunidade para mudarmos algo que não está assim tão bem em nós. 
Permitam-se a ser vocês mesmos, sem medos, simplesmente melhor que a última versão de vós. 

(Imagem: Pinterest)

New Year, Better Me...

Antes de mais, bom ano a todos e que 2019 seja um ano cheio de surpresas positivas e agradável para vocês. 

Todos os anos faço uma listagem de resoluções e objetivos para cumprir/realizar e este ano, fiz um pouquinho diferente. Comecei com um lema que pretendo colocar em primazia ao longo deste ano. Este lema centra-se no que eu quero, na minha felicidade, "Mais nada importa, só quero ser feliz". Somente o meu bem-estar. E foi nesse propósito que impus a mim mesma uma única resolução: MEDITAR

Nunca escondi que sofro imenso com a minha rotina agitada, sempre assumi todos os meus sintomas de stress e ansiedade que deixam-me numa posição desconfortável e fora do meu controle. Mas, recentemente, descobri que a meditação é, de facto, algo que funciona comigo. Sinto-me outra pessoa desde a primeira sessão que fiz. 

E onde é que aprendi a meditar? Com uma app incrível que descobri. Para mim, a melhor app de sempre.

Simple Habit Meditation 

Esta aplicação tem ajudado imenso pois a partir do momento que vocês instalam-na ela faz várias questões de modo a escolher a melhor técnica de meditação correspondendo às vossas necessidades. Para melhores noites de sono, para diminuir os níveis de stress e ansiedade, para manter o foco nas vossas metas e objetivos ou até mesmo para encontrar o equilíbrio interior dentro de vocês próprios, esta aplicação pode mesmo ajudar e num pouco espaço de tempo, com pelo menos cinco minutos conseguem relaxar. 

Primeira diferença notória, depois de começar neste meu processo de meditação, é o facto de estar mais leve e relaxada. Segundo ponto a referir, extremamente relevante, na minha opinião, é que tenho descansado muito melhor, nem usei uma faixa de descanso ou para dormir melhor pois não era essa a minha prioridade mas foi aí que me apercebi o quão poderosa era a meditação. 

Pelo vosso mood diário, conseguem obter diferentes faixas direcionadas e indicadas para tal.

 

A app é gratuita e se encontra disponível para iOS e para Android. E os áudios estão em Inglês. 

Venham meditar comigo durante este ano e tornem-se na melhor versão de vocês mesmos.

 

 

 

Simplesmente agradecer...

BD5C0664-01D7-4D0C-8D1E-2AFE92661F01.jpeg

Nestes dias tenho sentido a necessidade enorme de agradecer por tudo o que tem acontecido e, por mais incrível que pareça, quanto mais agradeço mais coisas positivas são guiadas até mim. Eu acredito que muito mais coisas boas estão por vir, acredito na lei da atração, acredito em Deus e num todo universo que tem reservado para mim tudo aquilo que mais necessito para uma vida mais feliz. Acredito que nada acontece por acaso, que tudo na vida tem um propósito e/ou um tempo certo para acontecer. Por isso, não vale a pena apressar as coisas que não dependem de nós mas isso não significa que tenhamos de baixar os braços ou abdicar de algo. Acredito, mais ainda, que o melhor ainda está por vir. E se eu acho que estou a viver coisas fabulosas, muitas outras coisas deixar-me-ão de coração cheio e irão fazer-me agradecer enquanto sorriu com toda a certeza do mundo que cheguei a onde tudo me pertence. 

Por isso, que eu saiba sempre agradecer e não apenas pedir. Que eu saiba sempre lutar pelos meus objetivos, de coração cheio e livre de maldade, sempre com um sorriso inconfundível no rosto. Pois quanto mais se agradece, mais se tem. 

E peço que levem isto também para a vossa vida quotidiana, verão uma diferença extraordinária dos acontecimentos. 

 

Confiar em Deus

91498850-D28F-4340-85D1-E626CFB9931D.png

 Quantas vezes é que passamos por momentos menos bons na nossa vida? Quantas vez perdemos lutamos e perdemos as forças pensando em desistir? Quantas vezes fingimos o sorriso no rosto para esconder o que estávamos a sentir naquele momento? Toda a gente tem estes momentos no qual a vida nos ensina inúmeras lições, cabe a nós desvendar o porquê de tudo isto. Não nos é muito fácil aceitar as desavenças da vida sobretudo se pensar-nos nos esforços e de tudo o que tivemos de abdicar para conseguir algo que na verdade estamos bem longe de alcançar. É difícil acreditar que vai correr tudo bem, que vai dar tudo certo na nossa vida, é difícil continuar esta caminhada quando o que está diante dos nossos olhos é o fracasso. Mas, a vida é feita desta coisas. Uma autêntica montanha russa. Uns dias no topo, outros no fundo. 

Já passei por muitos momentos menos bons da vida, aprendi a ser muito forte e firme perante as dificuldades. Mas há dias que eu não consigo encontrar as minhas forças. Somos todos humanos, somos todos mortais e ninguém nasceu para ser de ferro. 

Houve outros momentos, outras circunstâncias que eu me revoltei contra Deus pensando no porquê de tudo isto. Aí, nessa altura, foi tudo um colapso, toda uma vida sem sentido. Até que, aos poucos fui me apercebendo do vazio que tomara o meu coração e fui voltando às minhas orações, à igreja, à vida cristã, aos poucos, como referi. E aí vi que de facto toda a minha força, toda a minha verdade tinha sido plantado por Deus no meu coração. 

Hoje, sempre que estou triste, confusa, em baixo, com vontade de desistir ou simplesmente num dia não tão agradável, vou à Bíblia, abro-a aleatoriamente e começo a ler uma leitura, aquela que os meus olhos me orientaram e por mais incrível que pareça, naquela leitura, tem lá algo que me motiva, que me faz refletir, algo que me identifico perante a situação que estou a viver naquele momento. Algo que me faz crescer e olhar com uns outros olhos, numa outra perspetiva, os acontecimentos. 

Eu acredito que nada acontece por acaso. Deus dá-nos o que precisamos no momento certo. E sei que quando chegar a altura, também vou receber tudo o que Ele tem reservado para mim. Não sei quando, vou aguardar com paciência, com calma. Pois só Ele sabe quando é o tempo certo. Tudo vem quando tem que vir, quando temos maturidade suficiente para o receber. E quando falo em maturidade, retiro-me ao facto de sabermos dar o devido valor quando receber-mos. O tempo certo que todo o mundo fala é, nada mais nada menos, que o tempo de Deus. Há que saber passar pelas tempestades da vida para valorizar os raios de sol que nos aquece. 

Acreditar. Agradecer. 

 

amar é complicado !

Muito à parte da fofura que foi o casamento real, muito à parte daquilo que foi um casamento de sonhos para todas nós raparigas, hoje eu escrevo-vos sobre uma outra coisa, que também estaria, sem dúvida, relacionado com aquele que foi o casamento mais emocionante de todas as histórias de casamentos. Vim falar-vos sobre AMOR. Não só daquele que nos enche o coração e que desperta em nós um sentimento de nervosismo e/ou até mesmo das borboletas na barriga, mas também daquele que nos permite compartilhar com todos aqueles que se cruzam nas nossas vidas, aquele afeto, aquele sorriso, aquele cumprimento. 

Eu tenho uma teoria, por mais descabida que seja, deixa-me todos os dias a pensar. Como é que eu posso querer amar o próximo, como é que eu posso querer ter um compromisso com alguém (sim porque não são só os casamentos os compromissos e o amor também exige, de certo modo isso!) se não me amo totalmente como sou? É esta a minha teoria quase que filosófica que passa na minha mente mas se vos deixar pensar bem, tenho a certeza que vão acompanhar o meu raciocínio e toda esta minha lógica existencialmente mirabolante. 

Todos os dias somos bombardeados com novos padrões de moda, beleza e até mesmo de etiqueta. Todos os dias somos alvos de críticas seja pela nossa atitude e comportamentos nas mais diversas situações, algumas nem são assim tão intencionadas, mas por vezes, mesmo sem as pessoas quererem, por vezes magoa muito até. No meio de todo isto, perdemos a nossa verdadeira identidade, o nosso verdadeiro "eu interior". Ficamos deprimidos, ansiosos, desmotivados e um pouco nervosos por vezes. As pessoas, parecem que foram criadas como seres que só servem para criticar e atirar os outros bem lá para o fundo do poço e o mais engraçado é que são tão amigas, mas tão amigas que... adiante! (conteúdo não programado

Até que cheguei à conclusão que as horas que paço em frente ao espelho, a olhar-me sobre todos os ângulos possíveis e imaginários, não eram o suficientes pois percebi que não gosto de mim o suficiente, o que em pleno século XXI é perfeitamente natural, visto que quando abres o Instagram vês uma miúda de 13 anos mais bonita e com mais corpo do que tu, sem uma única borbulha na testa e com uma frase feita elaborada pelo Google toda ela estonteantemente apaixonada, tudo copy past

Mas agora a sério, a minha teoria está corroborada (segundo a filosofia de Karl Popper não se pode dizer verificada mas sim corroborada pois amanhã nada diz que ela possa ser falsa.. breve explicação gratuíta para quem vai fazer o Exame de Filosofia de 11ºano, não precisem de agradecer malta!), se assim se poder dizer, pois cada vez faz mais sentido gostarmos de nós e agirmos para com os outros e até mesmo connosco, da forma como queríamos ser tratados e deixar de subestimar as nossas capacidades, pois nós somos mais fortes e mais incríveis do que pensamos. 

Nós estamos muito dotados ao amar fisicamente, pela carinha bonita, o sorriso perfeito, ou até mesmo pelo corpo definidos que até nos esquecemos que as pessoas também têm sentimentos e talvez sejam eles os mais importantes do que qualquer abdominal definido que existe neste mundo. 

E só mais uma coisinha, nunca deixem que o vosso passado vos defina, nunca deixem que ele coloque-vos um travão através dos vossos medos pois são eles que vão adiar ou talvez encerrar todas as portas da vossa vida que vão bater à vossa felicidade. Não é a vossa imagem, a vossa altura, o vosso peso, o tamanho que vestem, que vão demonstrar a grandiosidade do vosso coração. 

Amar não é complicado, é talvez o sentimento mais puro e genuíno que o ser o humano não tem capacidade de controlar, que nasce dentro de si sem hora nem lugar, simplesmente sem aviso. Nós há que nascemos com um complicómetro ligado vinte e quatro sobre vinte e quatro horas por dia que temos que saber como e quando o desligar. 

 

 

ESTE POST ESTÁ CARREGADINHO DE IRONIA PARA VOS FAZER PARAR E PENSAR SE REALMENTE VALE A PENA COMPLICAR TUDO NA VIDA MESMO SABENDO QUE ELA PASSA A CORRER. 

 

 

a m a r é c o m p l i c a d o !

Muito à parte da fofura que foi o casamento real, muito à parte aquilo que foi um casamento de sonhos para todas nós raparigas, hoje eu escrevo-vos sobre uma outra coisa, que também estaria, sem dúvida, relacionado com aquele que foi o casamento mais emocionante de todas as histórias de casamentos. Vim falar-vos sobre AMOR. Não só daquele que nos enche o coração e que desperta em nós um sentimento de nervosismo e/ou até mesmo das borboletas na barriga, mas também daquele que nos permite compartilhar com todos aqueles que se cruzam nas nossas vidas, aquele afeto, aquele sorriso, aquele cumprimento. 

Eu tenho uma teoria, por mais descabida que seja, deixa-me todos os dias a pensar. Como é que eu posso querer amar o próximo, como é que eu posso querer ter um compromisso com alguém (sim porque não são só os casamentos os compromissos e o amor também exige, de certo modo isso!) se não me amo totalmente como sou? É esta a minha teoria quase que filosófica que passa na minha mente mas se vos deixar pensar bem, tenho a certeza que vão acompanhar o meu raciocínio e toda esta minha lógica existencialmente mirabolante. 

Todos os dias somos bombardeados com novos padrões de moda, beleza e até mesmo de etiqueta. Todos os dias somos alvos de críticas seja pela nossa atitude e comportamentos nas mais diversas situações, algumas nem são assim tão intencionadas, mas por vezes, mesmo sem as pessoas quererem, por vezes magoa muito até. No meio de todo isto, perdemos a nossa verdadeira identidade, o nosso verdadeiro "eu interior". Ficamos deprimidos, ansiosos, desmotivados e um pouco nervosos por vezes. As pessoas, parecem que foram criadas como seres que só servem para criticar e atirar os outros bem lá para o fundo do poço e o mais engraçado é que são tão amigas, mas tão amigas que... adiante! (conteúdo não programado

Até que cheguei à conclusão que as horas que paço em frente ao espelho, a olhar-me sobre todos os ângulos possíveis e imaginários, não eram o suficientes pois percebi que não gosto de mim o suficiente, o que em pleno século XXI é perfeitamente natural, visto que quando abres o Instagram vês uma miúda de 13 anos mais bonita e com mais corpo do que tu, sem uma única borbulha na testa e com uma frase feita elaborada pelo Google toda ela estonteantemente apaixonada, tudo copy past

Mas agora a sério, a minha teoria está corroborada (segundo a filosofia de Karl Popper não se pode dizer verificada mas sim corroborada pois amanhã nada diz que ela possa ser falsa.. breve explicação gratuíta para quem vai fazer o Exame de Filosofia de 11ºano, não precisem de agradecer malta!), se assim se poder dizer, pois cada vez faz mais sentido gostarmos de nós e agirmos para com os outros e até mesmo connosco, da forma como queríamos ser tratados e deixar de subsitimar as nossas capacidades, pois nós somos mais fortes e mais incríveis do que pensamos. 

Nós estamos é muito dotados ao amar fisicamente, pela carinha bonita, o sorriso perfeito, ou até mesmo pelo corpo definidos que até nos esquecemos que as pessoas também têm sentimentos e talvez sejam eles os mais importantes do que qualquer abdominal definido que existe neste mundo. 

E só mais uma coisinha, nunca deixem que o vosso passado vos defina, nunca deixem que ele coloque-vos um travão através dos vossos medos pois são eles que vão adiar ou talvez encerrar todas as portas da vossa vida que vão bater à vossa felicidade. Não é a vossa imagem, a vossa altura, o vosso peso, o tamanho que vestem, que vão demonstrar a grandiosidade do vosso coração. 

Amar não é complicado, é talvez o sentimento mais puro e genuíno que o ser o humano não tem capacidade de controlar, que nasce dentro de si sem hora nem lugar, simplesmente sem aviso. Nós há que nascemos com um complicómetro ligado vinte e quatro sobre vinte e quatro horas por dia que temos que saber como e quando o desligar. 

 

 

ESTE POST ESTÁ CARREGADINHO DE IRONIA PARA VOS FAZER PARAR E PENSAR SE REALMENTE VALE A PENA COMPLICAR TUDO NA VIDA MESMO SABENDO QUE ELA PASSA A CORRER. 

 

 

Desistir? Não. Erguer a cabeça? Sempre!

Quantas vezes já perdeste as forças? Quantas vezes já te deixaste ir abaixo? Quantas vezes já pensaste que não conseguias? Quantas vezes já pensaste em desistir de tudo? Eu já. Por vezes nem tudo acontece da maneira como querias-mos, daquela maneira que prevíamos. Muitas das vezes, os nossos planos dão todos errados, nada vai de encontro com aquilo que pensamos seguir ou que queremos alcançar. Nem sempre a vida corre pelo jeito que nós queríamos que ela corresse, parece que as paredes irão derrubar em cima de nós, parece que corremos constantemente contra o tempo em busca dos nossos sonhos, da nossa felicidade. 

Mas será que tudo isto não terá um propósito? Será que tudo isto não terá uma razão ou um porquê? Será que desistir é o melhor? Talvez, seja o caminho mais fácil e de certo modo tentador mas não é, de todo, a solução para acabar com a nossa angústia, o nosso sofrimento. Há que acreditar que por detrás da tempestade, no final de tudo isto, teremos o que tanto queremos senão algo ainda melhor do que planeado. Há que ter calma, esperança e atitude de guerreiro, há que saber não baixar os braços à primeira instância, mesmo que seja algo difícil de superar, à primeira vista, no final tudo será tão fácil e tudo se superará. A vida é feita disto, dificuldades, aflições e não apenas de sorrisos e alegrias sem fim, porque se tudo fosse assim tão fácil de que valia a pena viver? A Terra dá voltas e mais voltas e com ela, a nossa vida, neste ritmo quase alucinante, acompanha toda esta movimentação com altos e baixos, com sorrisos e lágrimas, com amores e desamores, com sonhos ou sem sonhos, com expectativas ou já cansado delas, há que saber reerguer, há que saber por olhar na direção da linha do horizonte, por um enorme sorriso no rosto mesmo quando tentamos segurar as lágrimas que teimam a verter dos nossos olhos e tentar equilibrar a coroa invisível que está em cima da nossa cabeça para que esta não caia. 

Lembra-te sempre que o melhor está sempre para vir e senão for daquele jeito que planeaste será ainda melhor. A vida sabe sempre como irá te surpreender. 

 

 Esta música In My Blood de Shawn Mendes inspirou-me a fazer este texto de modo a vos motivar a nunca desistirem. Esta música foi inspirado no primeiro contacto que o cantor teve com a ansiedade em que, como a letra indica, pensou em desistir mas não estava no seu sangue.

Espero ter-vos motivado a não desistirem mas sim erguer a cabeça e a continuarem a lutar pelo vosso sonho. 

Nunca desistem e sejam verdadeiramente felizes!

Vai dar tudo certo!

Se me pedissem para me descrever enquanto pessoa, sinceramente, nem sabia bem por onde começar. Ultimamente ando tão transtornada, sinto-me tão triste, tão desmotivada, não sei o que se anda a passar. É como se uma nuvem negra pairasse por cima da minha cabeça e, apesar do sorriso que está no meu rosto, a grande vontade é desistir de tudo isto. Talvez seja necessário passar por uma má fase, por uma tempestade para depois ver o sol brilhar para o nosso lado, talvez seja necessário que tudo dê errado para depois dar tudo certo e talvez seja necessário cair e aprender levantar, saber como erguer a cabeça para que a coroa não caia. E a vida segue num ritmo aterrorizante que nos faz por em questão tudo, desde o passado até mesmo o futuro e com ele todos os projetos de vida. De qualquer modo, não vale a pena insistir em algo que não está a dar certo, em algo que nos está a fazer sofrer e a provocar uma guerra interior em nós, conflito esse que nos deixa receosos de dar um passo em frente, de seguir o nosso rumo.

Hoje, não faço a mínima ideia do que eu quero ser ou fazer amanhã. Estou numa fase de deixar as coisas correrem e acreditar que no fim vai dar tudo certo. 

Se, por aí, alguém sente o mesmo que eu, devo dizer que, independentemente do que acontecer, seja que rumo que a vida tome, nunca deixem que ela vos roube o vosso sorriso e os vossos sonhos. Lembrem-se que nada acontece por acaso e que no fim, vai dar tudo certo, há que confiar pois é essa esperança que nos mantém vivos para além do ar que respiramos.

 

Sejam felizes! 

A autora

foto do autor

Translate

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub