Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Conversas e Café

#BackToSchool | Dicas de sobrevivência ao 1º ano de faculdade

Se és um futuro estudante universitário, este post é para ti. Hoje trago umas dicas incríveis para regressares à faculdade com nota máxima ou pelo menos tentares sobreviver a uma nova etapa do teu percurso académico. Ir para a faculdade é permitires-te embarcar numa nova aventura, sem dúvida. Adaptares-te a um novo ambiente, a novas pessoas e, sobretudo, se vais mudar-te para longe da tua família é um choque de realidade com a vida adulta. Mas não te assustes pois os melhores anos da tua vida começam agora! 

E para não te perderes e aproveitares ao máximo, deixo-te aqui algumas dicas transversais a todas as faculdades, muitas delas (senão a grande maioria!!) são dicas de uma estudante universitária com duas matrículas, ou seja, eu! 

Alojamento

Muito essencial. Sobretudo para quem mora longe. E olha que é difícil, sobretudo este ano em que volta tudo regime presencial, encontrares um cantinho para ti por isso aconselho-te a te deslocares para o local onde vais estudar assim que a tua candidatura for aceite e começares já a procurar casas/quartos/estúdios. Há sempre factores de peso a considerar: o ambiente, se vais partilhar o teu cantinho com alguém ou não, se te sentes confortável lá, a localização, desde a distância para a faculdade, os transportes, se tens farmácias e/ou supermercados perto de ti, etc. E claro, factor mais importante: a relação entre condições que te são disponibilizadas e o preço que vais pagar. Por isso convém andar de olho e não ficar logo pelo primeiro que vos aparecer à frente. 

A minha experiência: comecei por ver alojamentos na zona de Coimbra pela internet, a minha prima/madrinha de crisma, como já tinha estudado lá também ia mandando links dos sítios que ficavam mais perto da minha faculdade, o que me ajudou imenso. Quando tive a confirmação da minha candidatura, revi as condições dos alojamentos que mais tinha gostado, tendo sempre em conta os factores que referi anteriormente, e contactei os proprietários a perguntar se tinha vaga. Acabei por ficar com o primeiro que vi porque gostei de tudo, apesar de ser um pouco caro, reconheço, tinha todas as condições que precisava. E mesmo morando sozinha, não estou sozinha! 

 

Cartão de Multibanco Universitários 

Aquando da tua matrícula presencial vão dar-te a oportunidade de fazeres um cartão de multibanco com condições especiais para os universitários, pelo menos a UC tem essa parceria com a Santander. Honestamente, a meu ver, compensa vocês fazerem. Têm descontos no Uber e em tudo o que esteja relacionado com o mundo académico. E vocês vão ficar gratos por contar-vos isto porque a mim ninguém me contou. Com este cartão, vocês conseguem ter descontos incríveis ao comprar o traje. Sim, verdade! Poupei mais de 100€ só porque tinha aderido a este cartão. Portanto, pensem lá! 

 

Praxes 

Este tema é o que gera mais controvérsia e coloca todos com opiniões diferentes. Na verdade, a praxe tem toda uma conotação negativa associada porque simplesmente há pessoas e pessoas, códigos de praxes diferentes, visões diferentes sobre do que se trata. É mito quando dizem que quem não vai à praxe não fica bem ambientado mas também é certo que quem vai à praxe tem mais oportunidades de confraternização com o restante curso seja "caloiros" ou veteranos. 

A minha experiência: sempre fui um pouco contra praxes por ter uma noção errada do que era aquilo. Mas fui para experimentar pois sabia que era também ano de covid e que iria ficar muito tempo em casa a olhar para as paredes sem nada para fazer. Tenho que dizer que fiz muito bem e que adorei aquilo. Aprendes não só a te enquadrares num ambiente académico como também a ter respeito pelos outros como também a ser respeitado. Já para nem falar que todas as atividades têm sempre um objetivo, que não é humilhar ninguém mas sim aprender algo novo não só tradições académicas mas também cultura, civismo e entreajuda. Se estão indecisos, experimentem ir só à primeira e depois decidam por vocês se vale a pena ou não. 

 

Planta da Faculdade 

Geralmente as faculdades disponibilizam na internet a sua planta. Aconselho a ter sempre no telemóvel de modo a não te perderes na mesma. Vai ajudar-te para saberes em que andar tens a aula e quais são os wc's mais perto de ti. Eu juro que ajudou-me imenso, sobretudo quando, num ano de covid, ias poucas vezes à faculdade e era muito fácil se perder. 

 

O essencial do dicionário académico

Para não ficares com cara de tacho quando algum docente te falar ou perguntar alguma coisa, aqui estão algumas palavras que te podem ajudar. 

Primeiramente, no ensino superior já não se fala em disciplinas mas sim em Unidades Curriculares ou, simplesmente, Cadeiras.

De seguida os ECTS, muito resumidamente corresponde ao número de créditos, que de acordo com o sistema europeu de qualquer universidade na Europa, cada unidade curricular oferece. Os ECTS podem variar de unidade curricular para unidade curricular e é o somatório de ECTS que vai premitir o teu grau de ensino (Licenciatura, Mestrado, Doutoramento), ou seja, para X curso necessitas de X ECTS obrigatórios. Dado que um ano de formação corresponde a 60 ECTS, um semestre a 30 e um trimestre a 20. E para passares para o nível seguinte de formação tens de cumprir os ECTS mínimos exigidos.

No ensino superior, os teus professores são doutores. Muitos deles nem ligam à forma de tratamento, desde que seja sempre com muito respeito e educação. 

O ensino superior é dividido por ciclos. Muito provavelmente vais ficar com dúvidas quanto inicias as tuas aulas pois quando sai o calendário escolar, muitas vezes aparece por ciclos algumas alíneas. Assim sendo, o 1º ciclo corresponde à Licenciatura; o 2º ao Mestrado e o 3º ciclo ao Doutoramento

O Tutor é um professor da tua faculdade que será atribuido a ti de forma aleatória de modo a que possas recorrer-lhe durante todo o teu percurso académico. Assim, podes contactar-lhe sempre que estiveres em dúvida desde a construção do CV ou para te guiar no teu percurso académico. Podes sempre trocar de tutor depois de ser atribuido. 

As Propinas são as mensalidades que pagas para estudar na tua faculdade e o seu valor pode variar de curso para curso.

As unidades curriculares podem ser avaliada por exames ou frequências. Se for por exame, significa que no fim do semestre, dentro dessa época, vais ou não passar nessa unidade curricular por um único exame. Pudendo depois ir ou não a recurso para melhorar ou tentar passar à cadeira em questão. Caso seja por frequência, tens dois momentos de avaliação durante esse semestre, em que a média de ambos e a participação nas aulas, vão garantir a nota final dessa cadeira. Se falhares a uma frequência ou tiveres negativa na média final, podes sempre recorrer à época de recurso para não deixares a cadeira para trás.

 

Bolsas de Estudo

Tens direito a concorrer às bolsas de estudo. Sejam elas da DGES (Direção Geral do Ensino Superior), da Câmara Municipal da tua zona de residência e se fores das ilhas, podes sempre concorrer às bolsas Regionais. Mas há diferentes bolsas que podes concorrer, seja até de instituições sem fins lucrativos, ou instituições bancárias ou até mesmo as de mérito, esta última engloba outros fatores como o aproveitamento escolar e a classificação obtida no ano anterior. Necessitas apenas de pesquisar os documentos necessários, anexar e entregar dentro dos prazos estabelecidos. 

 

Vida Académica 

É muito importante investires na tua formação, obviamente. Mas também é necessário entrares no mundo académico e socializares com as pessoas. É possível tirar boas notas e ter uma vida académica socialmente ativa, é tudo uma questão de organização. Criar laços com o teu ano de curso e com os mais velhos é essencial. Na faculdade vais acabar por conhecer pessoas de todos os sítios, independentemente se são do teu curso ou não. Mas são pessoas que podes mesmo levar para o resto da tua vida. Não te isoles aos livros e aos resumes apenas. 

 

Obras e bibliografias 

Na faculdade não há manuais. Mas no início do ano os professores colocam nas plataformas universitárias as obras e bibliografias recomendadas à leitura para aquela unidade curricular. A questão é que a lista de obras e bibliografias, para além de extensa e indeterminável, não é de todo em conta para a carteira de um estudante universitário. Por isso, não necessitam de comprar. A não ser que seja altamente recomendada. Mas há muitas obras que darão no contexto de sala de aula que estão disponíveis numa versão online ou então, nas bibliotecas das vossas faculdades para consulta. 

 

Aulas Sobrepostas 

Provavelmente, todos os anos vão sofrer do mesmo mal: aulas sobrepostas. É impossível de estar em dois sítios ao mesmo tempo. Daí terem que arranjar estratégias, falar com os docentes em questão, explicar a situação, pedir apontamentos aos colegas e tudo mais. Caso não consigam, em último caso, mais vale trocar de unidades curriculares. 

 

Apontamentos 

Nesse aspeto sou muito old school. Não consigo tirar apontamentos no computador, faz-me impressão e acabo sempre por me perder. Nada melhor que tirar os meus apontamentos com lápis e papel. Por isso levo sempre o meu caderno (um para todas as cadeiras) e começo a anotar tudo o que preciso. Selecionar o essencial do acessório também é algo importante que, com o tempo, vão conseguir fazer. No fim, se não percebi alguma parte, peço os apontamentos aos meus colegas e ao trocar isso, acrescentamos informação uns aos outros. Também ter apontamentos de alunos antigos, dos anos anteriores, também é algo que podem pedir e o pessoal disponibiliza sem qualquer problema. 

 

Google Calender 

Falei em organização? Este calendário ajudou-me imenso. Tanto para manter a matéria em dia como para me ajudar na organização de estudo para os exames. 

 

Plataforma Digitais

Toda a informação da tua faculdade, desde material de apoio ao estudo enviado pelos professores, como as pautas dos exames, até mesmo o sumário das aulas, encontra-se tudo na plataforma oficial da tua universidade. Para comunicação entre docente-estudante, dá uso ao teu e-mail. Desde que estejas na faculdade, o Instagram e o Tik Tok vão dar lugar ao e-mail e à plataforma oficial da tua faculdade. E acreditem, vão ser as páginas que vocês mais vão atualizar todos os os dias no tempo letivo. 

 

Por fim, só quero desejar-vos um bom regresso às aulas e de recordar um ensinamento estudantil que eu aprendi com os mais velhos e que é mesmo verdade: O CURSO FAZ-SE NO RECURSO!

Saudações académicas.

Época de exames? Socorro! O que fazer?

E a época mais temida por todos os estudantes, sejam eles do secundário ou universitários, está cada vez mais próxima. E hoje, tirei um tempinho para dar-vos umas dicas para superar os picos e ataques súbitos de stress e ansiedade só de olhar para a matéria acumulada. 

No fundo a chave de tudo isto é mesmo ORGANIZAÇÃO e MUITA CALMA! Não é impossível minha gente!

1ª Dica - Olhar para o calendário

Parece irónico estar a recomendar isto mas ter um calendário à frente com todas as datas das provas (desde testes, frequências, exames, trabalhos, etc.) é muito importante para saber por onde começar

 

2ª Dica - Planear a semana

Criar uma própria agenda, seja física (em papel), seja digital, é sempre muito importante. Eu uso o Google Calender para me organizar e todos os sábados planeio mais ou menos o que tenho que fazer nessa semana. Aponto tudo, desde horários para treinar, como as cadeiras que vou estudar, datas das frequências/exames/trabalhos até mesmo tarefas que tenho que fazer, estipulo horários (incluindo as pausas). A melhor parte disso é o facto de ele estar conectado com o iPhone e assim, 30 minutos antes, aparece a notificação para não me esquecer da minha próxima tarefa. 

Sim, isto funciona se for comprido à risca e permite que tenham uma visão mais global de como organizar o vosso tempo. 

 

3ª Dica - Começar a estudar por datas 

Depois de teres o calendário, recomendo que quando organizares o teu tempo de estudo, começa a estudar pelas cadeiras/disciplinas por ordem que te aparecem no calendário. E para tornar o teu estudo muito mais produtivo, opta por estudar várias cadeiras/disciplinas, fazendo um intervalo entre 15 a 30 minutos, não desvalorizando nenhuma cadeira/disciplina ou deixando-a para trás. 

 

4ª Dica - Organizar o ambiente de trabalho

Já falei tantas vezes por aqui em outras publicações, no entanto volto a repetir o quão importante e indispensável, é ter a zona de trabalho organizada, tranquila, com boa luz (natural de preferência) e com apenas o material essencial ao estudo para evitar qualquer distração.

 

5ª Dica - Evitar distrações

Por falar em distrações, reforço uma vez mais que todo e qualquer equipamento eletrónico que não esteja a ser utilizado como material de estudo deve estar com as notificações desativadas e bem longe da área de estudo e da vista para evitar toda e qualquer distração desnecessária. 

 

6ª Dica - Pesquisas extras para maior conhecimento dos temas

Esta dica destina-se essencialmente para os estudantes universitários. A leitura de bibliografia para complementar os apontamentos de sala de aula e resumos sobre um determinado tema é muito importante e até imprescindível para o desenvolvimento de uma resposta, sobretudo quando os professores pedem pelo menos uma página de resposta.

 

7ª Dica - Exercitar

Exercício físico regular, sobretudo nesta altura onde os níveis de stress estão no limite, é imprescindível. Para além de ajudar a libertar do stress, vai ajudar-te a ser mais produtivo e está provado que ajuda na memorização e melhora a concentração uma vez que ajuda a desenvolver células cerebrais. 

 

8ª Dica - Descanso 

Época de exames é sinónimo, para muitos alunos, maratonas de estudo pela noite dentro, inclusive "diretas" para exames. Fiquem a saber que umas boas noites de sono, entre 7 a 8 horas por noite, são importantes para dar mais energia e ajudar a se concentrar para além de relaxar. Portanto, para obter ou melhorar resultados, dormir também é um dos segredos para o sucesso académico. 

 

Eis as dicas para sobreviver a esta fase que exige tanto de nós e da nossa capacidade intelectual. 

Muita boa sorte a todos para as vossas provas e que corra tudo bem na vossa vida académica. 

Votos de muito sucesso!

Estudantes, vamos com tudo! 

 

 

 

 

 

 

 

Como sobreviver ás aulas online?

Aulas online. Um sacrifício gigante. Não é das melhores coisas para se aprender, é só um desenrasque face ás circunstâncias em que se vive. Para mim, é algo em que é muito fácil de se desconcentrar. E depois, acabo todas as aulas a pensar "mas o que é que falamos hoje?". Até verificar os meus apontamentos, sinto - me perdida no que foi dado. Para além de tudo isso, contribui para o sedentarismo e digo isto porque inexplicavelmente, os horários são péssimos, falo por mim. Detesto-os!

Mas hoje, vim dar-vos algumas dicas que vos podem ajudar a sobreviver a este martírio enquanto se espera por tempos melhores e mais felizes. E estas dicas podem ser facilmente adequadas para o vosso ano de escolaridade independentemente se estão no ensino básico, secundário ou superior. Não importa se estão no 5ºano, no 12ºano ou na universidade, estas dicas podem mesmo ajudar-vos para garantir o sucesso académico à distância. 

 

Escolher um ambiente tranquilo 

Procurem um sítio para ter aulas online que seja calmo, sem interferência de barulhos ou distrações, longe da família que vive convosco sobretudo. Para além de tranquilo, escolham também um sítio bem iluminado preferencialmente com luz natural para aumentar, não só, a produtividade e otimismo mas também a energia, tudo aquilo que necessitamos particularmente de manhã cedinho. 

 

Escolher apenas o material essencial à aula

De modo a evitar desatenção, é importante manter somente o material necessário à aula. Assim material de escrita, caderno/bloco de apontamentos, computador (com o separador do zoom - ou de qualquer outra plataforma -, sempre a preencher a tela principal) e pouco mais que isso. Tudo o que seja tecnologia que estejam a mais, como telemóveis, tablets, etc. e que seja alvo de distração mantenham-nas longe. 

 

Incluir uma garrafa de água e alguns snacks por perto 

De forma a manter o corpo sempre hidratado e também para refrescar as ideias, ter sempre uma garrafa de água ao pé de vocês é o ideal para que, durante as aulas online, quando necessário, possam dar um gole para oxigenar as células do cérebro, a ajudar-vos a manter mais produtivos e claro, sempre hidratados. Já quanto aos snacks, não é para comer durante as aulas em vez de estar atentos à matéria, é para aqueles momentos em que os professores se estendem nas horas e terminam a sua sessão de Zoom, por exemplo, na hora da próxima aula, é muito útil para qualquer estudante pois nem necessitam de perder tempo em ir à cozinha buscar qualquer coisa para comer enquanto o professor da aula seguinte já adiantou a matéria. 

 

Gravar aulas 

Talvez dos temas mais controversos das minhas dicas. Se souberem o que estão a fazer não haverá problemas. Este método é interessante não para quem decide ligar a plataforma e voltar para a cama dormir mais um bocado ou estar mais ocupado a jogar LOL e outras coisas. Este método é interessante e realmente produtivo para aqueles alunos que gostam de aprender, de estar atentos e que não querem perder nenhum apontamento. Nas aulas por vezes torna-se difícil acompanhar o raciocínio dos professores e apontar tudo o que eles dizem, e que é do nosso interesse, sobretudo no ensino superior, na vida universitária. Daí o truque é gravar a aula em questão e apontar nas margens da folha os minutos em que não conseguiram apanhar de tal maneira que depois possam rever os mesmos. Há imensos programas que gravam a tela ou até mesmo o áudio. Ou então utilizem a  "gravação de voz" do vosso telemóvel para registar o áudio das vossas aulas. Mas antes, experimentem o programa ou até mesmo o gravador do vosso telemóvel, num vídeo no YouTube para ver se efetivamente resulta. E no final das aulas, vão recuperar somente esses momentos, aquelas que anotaram anteriormente, e acabar de anotar as ideias que estão em falta.  

 

Tirar apontamentos 

Para além de gravar as aulas, é ainda mais importante tirar os apontamentos das mesmas. É fundamental para se orientarem no estudo. Têm que aprender a filtrar tudo o que foi dito na aula entre o essencial e acessório ao mesmo tempo que tirem as vossas notas durante as aulas e não somente ficar à espera dos apontamentos de um colega. Se quiserem podem sempre pedir para comparar e ver se podem acrescentar mais alguma coisa aos vossos mas, se utilizarem a dica anterior, não terão esse problema de pedir apontamentos a ninguém. 

 

Carregadores e extensões sempre por perto

Não há nenhum computador que sobreviva estar ligado de manhã à noite sem carregar pelo menos uma vez. Especial com as plataformas utilizadas para ensino à distância como é o caso do Zoom, que consomem tanto, torna-se impossível. Por esse motivo é sempre importante possuir um carregador por perto pois quando o computador pedir carga, é só introduzir o mesmo na entrada e assim não correm o risco de sair da chamada por este se desligar sem carga. Caso estejam longe das tomadas, pensem em ter uma extensão sempre ligada à tomada e por sua vez ligada ao carregador para que tais incidentes não aconteçam. E devo confessar que esta dica já me salvou umas quantas vezes. 

 

Estas foram as dicas principais para arrasarem no ensino remoto.  

Espero que tenha sido úteis para vocês. 

✩ Bons estudos! ✩

 

Ensino Profissional e acesso ao ensino superior SEM EXAMES

Eu não sou de falar sobre estas coisas, muito menos de intrigas mas não consegui ficar indiferente a esta notícia. 

IMG_1340.PNG

É minimamente revoltante, não só para nós, alunos de cursos científicos-humanísticos que nos matamos de manhã à noite a estudar e a contar cada décima para podermos atingir os nossos objetivos e entrarmos no nosso curso de sonho mas também para os professores que se dedicam a nós para que possamos atingir os nossos objetivos e que fazem de tudo para nos ajudar a ultrapassar qualquer dificuldade que a matéria lecionada nas aulas possa causar, mas ninguém pensa nisso, não é verdade?

Mas é ainda mais revoltante para mim. Eu que tive de perder mais um ano da minha vida a fazer melhorias para puder entrar no ensino superior, eu que me dedico a quinhentos por cento e que me preocupo com o dia de amanhã para agora chegar estas pessoas e decidirem que, efectivamente, os alunos do profissional podem candidatar-se às universidade com o privilégio de nem realizarem exames nacionais (só falta mesmo estenderem o tapete vermelho para eles passarem, juro!). Exames esses que serve como prova de ingresso para entrar no curso e que para eles não é (mais) necessário. 

A sério, o que será que eles têm de diferente de nós? Só porque têm mais carga horária do que nós, alunos ditos "normais"? Sim, até podem ter mas isso não implica que nós, alunos "normais", depois das horas de aulas não tenhamos atividades extracurriculares ligadas à escola como explicações, apoios e tudo mais que também preenchem grande parte do nosso tempo. 

Pergunto-me que sociedade andamos nós a criar? Uma sociedade que não luta pela vida e que têm tudo de forma fácil? 

Vamos lá ver estes exemplos hipotéticos, um indivíduo vai ao médico com dores e uma data de sintomas, o médico que lhe analisa (que estava no curso profissional de eletricidade, por exemplo) às tantas até pesquisa no Google os sintomas e dá-lhe o diagnóstico errado e prescreve uma medicação nada a haver à doença real do paciente. Um outro indivíduo vai a um outro profissional de saúde com os mesmo sintomas, o médico (que estudou biologia desde o 10º ano) não falha no diagnóstico e prescreve a medicação indicada. Qual dos indivíduos tem mais probabilidade de sobreviver e de curar-se? Ah pois! 

Não que tenha nada contra às opções de ensino que cada um escolhe seguir contudo há limites e devem ser clarificados. 

Para mim, o ensino profissional, tal como o nome indica, deveria ser específico para pessoas que pretendem fazer o 12º ano numa formação em específico e que não queiram ingressar no ensino superior. Enquanto que nos cursos científicos-humanísticos, os alunos que lá estiverem inseridos, pretendem completar o 12º ano e eventualmente prosseguir com os seus estudos até ao ensino superior. 

Isto assim era perfeito, ninguém tirava o lugar de ninguém e as águas estavam devidamente separadas. Pois estou certa que a facilidade de tirar 19 ou 20 valores é muito maior no ensino profissional do que num curso científico-humanístico independentemente do que ele for. Daí e só por isso a minha revolta.

O facto de alunos deste "método de ensino" conseguirem entrar com maior facilidade no ensino superior pelas médias incríveis e ainda por cima sem exames, bom constatar, e nós alunos "normais" que andamos todos tontos a somar todas as décimas para pudermos seguir o nosso sonho e concluir os nossos objetivos. E é tão frustrante esta situação ao ponto de eu não me conseguir me calar mais, já chega de gozarem da nossa cara e de desrespeitarem os nossos professores!

E o pior pensar é que isto mesmo só acontece em Portugal... enfim!

 

(Podem ler a notícia aqui)

 

 

A autora

foto do autor

Translate

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub