Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Conversas e Café

Uma questão de voltar...

Após dois meses duros de quarentena, dois meses a treinar em casa com a ajuda da app Nike Training Club com somente o peso do corpo a atuar, estou de regresso! Não há palavras para descrever toda a emoção que senti a partir do momento em que entrei pela aquela porta, muito menos palavras para descrever toda energia ali dentro, os olhares, os sorrisos, a alegria e a saudade de voltar. Parecia tudo tão irreal. Parecia tudo um sonho. Depois de dois meses de medidas tão restritas, puder voltar a treinar é um privilégio que aqui, na Madeira, podemos usufruir.

Fiz o meu percurso desde casa até ao ginásio mentalizada de que deveria começar devagar, com calma, para o corpo não sentir tanto impacto ao ponto de depois sofrer alguma lesão, foi isso que fiz, aumentando os pesos devagar, sem pressas, durante as séries e quando dei por mim, já lá estava eu, com a carga do costume. Já tinha tantas saudades! 

Entrei no ginásio, pela diabetes, mas também pelo peso que tinha a mais, que estava a tornar o meu corpo resistente à insulina, perdi peso e ganhei massa muscular. E durante muito pouco tempo descobri que aquele sítio não era só para tratar do físico mas também da mente. E é ali onde o mente e corpo unem-se e provam-te que afinal são um só. E é aí em que te apercebes do quão forte podes ser. E é também ali em que  toda a ansiedade, todas as frustrações e emoções negativas transformam-se em algo maior, mais belo e mais prazeroso, mais puro e positivo. Por isso, quando a Covid tirou o ginásio de mim, era como se tivesse tirado algo de mim, no qual tive que arranjar alternativas. Comecei com os diretos do meu próprio ginásio e juntei a minha aplicação. Saltei dos jeans para as leggings com a promessa de que todos os dias ia treinar (com a exceção do domingo, esse era dia de recuperar os músculos) e só assim pude ter a certeza que o meu corpo iria responder bem ao regresso. 

Mas digam o que quiserem dizer, a verdade é que nada é tão bom e eficaz do que voltar àquele cantinho pelo qual já o trato por "o meu lugar feliz" pois é ali que tudo se alinha e que cada gota de suor é mais um passo ao meu objetivo, e que todas as dores ao fim de duas horas depois do treino valem a pena. 

Por isso, estou de volta ao meu cantinho mais feliz do que nunca!

IMG_9952.JPG

 

E que bem que soube voltar. 😊

 

Primeiras Impressões dos concorrentes do Big Brother 2020 da TVI

Vinte anos depois da estreia da primeira edição do Big Brother em Portugal, o reality - show está de volta à TVI num formato diferente. No domingo passado foi apresentado os concorrentes desta edição e pelo que ficamos a perceber, esta edição tem muito que falar.

Primeiramente o apresentador, Cláudio Ramos, que deixou a "vizinha" Cristina Ferreira nas manhãs da SIC para vir para a "concorrência" abraçar este projeto. E devo dizer que a TVI está de parabéns pela belíssima aposta no apresentador. E não imaginava mais ninguém que tivesse tão altura do Cláudio para este formato de programas. 

Depois a casa, eu suspirei uma quinhentas vezes enquanto desvendavam cada recanto daquela casa. Desde o closet, ao jacuzzi, à piscina e sem esquecer da vista para o mar. Gente, tenho que falar com a TVI porque eu quero aquela casa quando esta edição acabar!

Por último os concorrentes. Hoje vou dizer o que achei de cada um deles de acordo com as imagens que tenho acompanhado. Este elenco é composto por pessoas reais com personalidades diferentes e interessantes, todos eles a cumprirem uma quarentena de 14 dias num apartamento isolado antes de entrar no jogo propriamente dito, mas já a conhecerem-se uns aos outros. 

Sem mais demoras, venham conhecer as minhas primeiras impressões sobre cada um deles.

Rui Alves, 22 anos, Vila Real

Devo admitir que achei o Rui de uma humildade e genuinidade extrema. O Rui é pastor. De ovelhas, não da "igreja" (tá Iury?!). E ele é muito divertido e muito preocupado com as suas ovelhas, coisa que achei muito engraçado. 

 

Iury, 27 anos, Oliveira do Bairro

A miss dos concursos de beleza dos States e atual personal trainer fala, fala e fala. Ela tem tanta energia, que Deus do Céu, onde é o interruptor para a desligar por um bocado? E quando as coisas se "auto-apodrecem", tal como ela diz, já não tem volta a dar. 

 

Diogo, 34 anos, Lisboa

Dos concorrentes mais "normais" e menos "polémicos". Até levou um livro para o período de isolamento no seu apartamento! 

 

Sónia, 27 anos, Vila Nova de Gaia

Lembrem-se da Cátia Palhinhas da Casa dos Segredos, um outro reality-show da TVI? Então a Sónia é a versão 2.0 desta outra concorrente. Ela tem cá uma graça. De repente, o Big Ben é a torre de Paris. Depois é "meu Vitor" para cá e "meu Vitor" para lá que o Vitor da Sónia passou a ser o Vitor de Portugal inteiro. Já para nem falar do dilema com a "Pintelheira" (a.k.a Depilação) que a concorrente confessou ao apresentador. E por tal genuinidade, gargalhadas não irão faltar enquanto esta concorrente estiver na casa. Por isso preparem as vossas "alheiras do Alentejo" e assistam.

 

Edmar, 27 anos, Londres

O Edmar é gay assumido e muito bem resolvido quanto a isso. Para mim ele é uma lufada de ar fresco neste tipo de programas de modo a por fim com eventuais preconceitos. Achei-o, numa primeira impressão, muito fofo e engraçado.

 

Daniel Guerreiro, 28 anos, Palmela

Talvez das personalidades mais curiosas desta edição uma vez que ter um hipnoterapeuta de profissão na casa pode ser uma estratégia de jogo que ele pode muito bem adotar uma vez que ele sabe utilizar e trabalhar muito bem com a manipulação e pode tirar partido disso.

 

Ana Catharina, 29 anos, Lisboa

Pareceu-me boa miúda. Gosta de meditar e é vegan. Adorei ver as imagens dela a ensinar ao Rui como fazer patê de Tofu enquanto ele explicava como criava e matava as ovelhas. Coitada, ela tão traumatizada com a situação e ele não se calava por um segundo com aquelas histórias. Já deu para rir um pouco.

 

Sandrina, 21 anos, Moura

Incrível a história de vida da moça. Contrariou tradições da etnia cigana da sua família, saiu de casa e tirou curso de cabeleireiro contra a vontade do pai, foi bem tratada pela sogra até esta descobrir as origens de Sandrina, expulsando-a de seguida da sua casa... enfim! Grande menina!

 

Soraia, 27 anos, Londres

A Soraia é a Soraia. Divertida e muito "requisitada" pelos concorrentes masculinos (se me entendem, né?). Aguardemos a entrada na casa para ver como vai ser os comentários dos concorrentes masculinos em relação à rapariga...

 

Daniel Monteiro, 28 anos, Valongo

E se houver fogos na casa, chamem o Daniel Monteiro que ele dá conta do recado. Bombeiro de profissão, menino da mamã, pessoa ativa, não estou a ver o Daniel fechado naquela casa. 

 

Hélder, 39 anos, Santa Maria da Feira

O Hélder é a definição de "PAVÃO". Passo a explicar-me. Quando refiro-me a "pavão" estou a referir-me àquele tipo de pessoas (principalmente do sexo masculino!!) que são demasiado exibicionistas, que exibam os seus músculos até dizer chega para atrair o sexo oposto. Daí a expressão de  "parece um pavão a se pavonear". E é algo que me irrita PROFUNDAMENTE! Uma coisa é ter um corpinho definido e mostrá-lo de vez enquanto ou por uma peça de roupa mais apertada, ou até mesmo na praia mas outra coisa é ser de forma intencional, contrair os músculos de forma as câmaras captarem os "melhores" ângulos do mesmo. E tenho a ligeira impressão de que este concorrente vai andar "à luta" contra a Sónia por giletes na hora de eliminar a "pintelheira".

 

Fábio, 25 anos, Boliqueime

Bati de frente com o Fábio por algumas razões. Primeiro, o facto de não fazer nada a não ser apostas desportivas irritou-me. Um miúdo tão novo e não trabalha nem nada?! Depois o facto de ser um pouco convencido, tudo bem dizer que se acha bonito, é incrível ter amor próprio, mas daí a se elogiar pelo facto de todas as miúdas lhe caírem aos pés?! É preciso tanto? Ele será mulherengo ou player? Não sei, ainda não me decidi. No entanto, admito que o facto de ser especialista em apostas desportivas pode ajudar-lhe no jogo mas vamos lá ver qual será a estratégia que irá adotar. Espero bem que ele tome consciência que terá de colaborar nas tarefas da casa.

 

Noélia, 33 anos, Tavira

Trabalhadora a rapariga, empreendedora e um pouco mandona. Atitude é o que não falta à Noélia. Ela tem uma energia, gere dois supermercados e tenho a certeza que dentro da casa vai por muita gente a mexer os cordelinhos e vai coordenar toda a gente de modo com que todos colaborem nas tarefas. Vou gostar de ver!

 

Jéssica, 22 anos, Suíça

Algo dentro de mim gritou que a Jéssica era menina de intrigas assim que vi o vídeo de apresentação, no entanto, esta minha opinião tem vindo a desvanecer-se nos últimos dias. Ela é ambiciosa, determinada e empreendedora e talvez, pela sua história, ela foi obrigada a crescer demasiado cedo e a adotar uma postura "forte" como  mecanismo de auto defesa que pode ser visto, muitas vezes, como arrogância e intrigas. Estou curiosa para conhecer o seu percurso e a sua relação com os outros concorrentes. 

 

Pedro Alves, 25 anos, Penafiel

Talvez dos concorrentes que gerou mais "polémica" (pela negativa) e a internet, uma vez mais não perdoou. O facto do Pedro Alves revelar-se na sua apresentação ser "um bocadinho homofóbico" gerou muita controvérsia. No entanto, prefiro acreditar que não passou de um comentário um pouco infeliz da parte dele usando talvez como uma estratégia de jogo. Mas se assim foi, não foi muito inteligente. Ou talvez até foi. Mas pelo que vi, achei o Pedro um concorrente educado e aposto que ainda se vai dar muito bem com o Edmar. 

 

Angélica, 27 anos, Aveiro

A nossa Venezuelana de Aveiro. Algo me diz que ela vai fazer a diferença na casa. Ela é muito determinada e objetivo, para além dos 50 mil euros obviamente, é conquistar os portugueses. Algo me diz que ela já conquistou grande parte deles. 

 

Pedro Soá, 44 anos, Montijo

Este concorrente também gerou uma certa discórdia entre as opiniões do público e dos concorrentes. Para os concorrentes, Pedro Soá tem um certo estatuto, não só pela idade, mas será o líder. Para os portugueses, este é talvez dos participantes menos "querido". E eu estou à espera de ver como será a sua prestação na casa porque as minhas primeiras impressões sobre ele foram quase que inconclusivas.

 

Slávia, 32 anos, Cascais

As minhas primeiras impressões sobre esta concorrente é que ela pode ser a caixinha de surpresas do BB2020. Algo nela me diz que há uma determinação e uma energia boa para contagiar a casa nos momentos de possível tensão entre concorrentes. 

 

E pronto, as primeiras impressões estão dadas, agora é aguardar pelo jogo e pela estratégia que cada concorrente irá adotar dentro da casa. Já tenho os meus preferidos desta edição mas prefiro guardá-los para mim e torcer para que não me desiludam. 

E quanto a vocês, o que acharam dos concorrentes desta edição? Já têm os vossos favoritos? Quem poderá surpreender tanto pela positiva como pela negativa? 

Quero ler as vossas opiniões!

 

(Imagens: TV 7 dias)

 

Uma Páscoa diferente...

Este ano, devido ao Coronavírus, será uma Páscoa diferente. Em todos os sentidos. A reunião com familiares e amigos foi substituída pelo distanciamento social. A mesa cheia, a alegria das crianças a correr pela casa, é agora trocada por várias mesas e pelo silêncio. Será uma Páscoa que ainda me custa acreditar que vamos passar, uma Páscoa menos recheada de momentos  de cumplicidade, de menos abraços, menos pessoas presentes fisicamente. E em vez dessa mesma presença, vamos dar uso às tecnologias e fazer vídeochamadas. Por muito que custe esta distância, tempos de acreditar que bons momentos virão e que vamos voltar a abraçar, a nos reunir em breve mas para isso, é necessário o esforço de todos. 

Um esforço que muitos estamos a respeitar mas "muitos" não são o suficiente. "Muitos" é diferente de "TODOS" e mesmo que acham que estamos a retroceder no tempo, voltar aos dias antes de 25 de abril de 1974, aos dias que não haviam liberdade em Portugal, lembrem-se sempre que, desta vez, estamos TODOS juntos, no mesmo barco a remar contra a corrente, contra esta tempestade chamada de COVID-19. Estamos TODOS a lutar contra algo tão invisível e monstruosamente maior que nós por isso é necessário estes esforços, estes cuidados, este distanciamento, para que possamos sair TODOS JUNTOS disto, sem deixar mais ninguém pelo caminho. Depende essencialmente de nós.

E se é para ser uma Páscoa diferente, mais distante. Que seja!  Porque até distantes estamos JUNTOS. E muito em breve, recuperaremos todo o "tempo perdido" que na verdade, foi ganho, por continuarmos com saúde, por continuarmos vivos para poder abraçar uma outra vez quem mais amamos. Mesmo distantes, uma Páscoa abençoada! 

Depende de TODOS. Fiquem em casa!

O cúmulo de estar doente...

Passei a semana passada a me assoar, espirrar, com uma inflamação e dores terríveis de garganta e ainda com uma voz de cana rachada, tão rouca que estava... e assim nasceu este post. 

Uma semana depois ainda continuo a assoar-me com menos frequência fruto do meu maravilhoso sinusite que me adora atormentar de vez enquanto. 

Não sou pessoa para isto... odeio estar doente! Tenho um ódio e um trauma a medicamentos, sobretudo aos de nariz, pois passei a minha vida toda com eles atrás. Sou, por isso, contra químicos! Posso estar a morrer de dores que, ainda assim, muito raramente ingiro um. E quando o faço é sinal que já cheguei a um nível gigante de desespero. Químicos na minha vida, para mim, só o aquilo que eu dependo - a insulina e um quarto de comprimido que tenho de tomar duas vezes por semana, de resto... odeio tudo!

Os sintomas de gripe são terríveis na minha pessoa, começa com uma inflamação na garganta e aí toda a gente, inclusive a minha mãe, começam a recomendar Stepfen o que para mim é igual que ingerir água quando tenho dores de garganta, não me faz nada! Aliás, às vezes, até me sinto pior depois de tomar, como se isso fosse possível (tenho mesmo que ser estudada!). O que me passa mesmo é o CantaDrill, umas pastilhas consideradas como suplemento natural (então eu ainda gosto mais!!) e aí sim, volta o alívio e cura a minha inflamação. 

Depois isto, quando finalmente curada da inflamação de garganta, começa então a constipação, os espirros constantes, "água" a escorrer pelo nariz a baixo e aí uma pessoa já se prepara psicologicamente para o que aí vem... Lenços em todos os bolsos dos casacos, em cada canto da casa, nariz sensível e "assado" de tanto se assoar. E o pior de tudo, a medicação! Aquilo se aplica no nariz mas sentes o gosto a químico a chegar à garganta o que é tão blah!  minimamente nojento. Nesta minha última constipação, fiz tanta "ronha" para não aplicar estas porcarias, mesmo que sentisse melhor em termos de respirar, evitei o máximo que pude! Já disse que odeio isto, certo?!

Uma pessoa anda bem agasalhada na rua, sempre com o casaco fechado, cachecol e gorro mas existe duas variantes: primeiro, as pessoas à minha volta! Como ando de transportes públicos, o vírus, de quando uma pessoa tosse ou espirra, contamina o espaço portanto, já sei, lá vamos nós ficar doentes. Depois, as variações de temperatura. Aqui na Madeira, num só dia temos as quatro estações do ano, para todos os gostos. De manhã, está frio, mas por volta das onze horas ou meio dia, está calor. Ao sol, está quente mas na zonas de sombra, passa uma aragem meia desagradável. Acrescentado a estas condições, dentro dos transportes públicos, há motoristas que ligam o ar condicionado no máximo, mesmo tendo o do teu assento fechado, sentes sempre o ar condicionado geral a trabalhar. Portanto, esta é a minha sina, ficar doente. 

Agora que estou no meu estado mais normal, depois de uma semana sem forças para nada, que nem uma orca encalhada na praia, cheguei à conclusão de uma coisa. E esta conclusão surgiu do Felipe Neto, um youtuber brasileiro muito conhecido em todo o mundo (não sejam ignorantes, vão lá ao YouTube, prometo que vão dar muitas gargalhadas com o conteúdo dele!) e eu testei e ele tem tanta razão que até fiquei chocada. 

A conclusão foi: com remédios ou sem remédios, a gripe demora a passar em uma semana! Não vale a pena ir por receitas naturais do tempo dos avós ou bisavós. A gripe passa sempre em UMA SEMANA!

Desculpem, mas tive de destacar esta informação. Em uma semana fazemos figuras tristes, temos cara de um morto que acabou de ressuscitar, mas calma! É só durante uma semana. 

No entanto, se for para tomar antibióticos, por muito contra de químicos que seja, recomendo vivamente a fazê-lo. E já agora, vacinem-se contra a gripe e agasalhem-se bem. Tomem, também, muitos citrinos (laranja, toranja, até mesmo kiwi!)

 

Lojas e os tamanhos (a)normiais

Isto é um assunto que perturba a minha autoestima e que seguramente não devo ser a única nesta vida. No domingo passado fui ao shopping fazer as minhas comprinhas de natal e inclusive procurar algo para vestir no dia de natal e entrei numa loja (no qual não vou revelar o nome mas penso que vão descobrir facilmente a qual me refiro!) e experimentei algumas peças peças de roupa, ou melhor, tentei experimentar pois elas não me serviam nem que fizesse o pino e fiquei a pensar que só poderia ser de mim, que eu tinha engordado após um mês com pouco tempo para treinos. Mas, a minha mãe que estava comigo ela disse "de facto estes tamanhos são exageradamente pequenos, tens a certeza que tiraste o tamanho correto?". Obviamente que eu tinha tirado o tamanho que eu costumo vestir.

Esta não é a primeira vez que isto me acontece nesta mesma loja para meu desagrado e eu sinto-me uma baleia sempre que lá entro e saio de mãos abanar o que é uma pena visto que tem algumas roupas que até se aproveitavam mas mais parece que eles mingaram nos tamanhos, agora, os S e M são para raparigas anoréticas ou um espeto (sem ofensa, desde já!!), sem curvas nem nada. O que me deixa extremamente triste. Se é para fazer roupas com estes tamanhos para Barbies mais vale nem entrar mais aí pois como eu ainda uso um S ou um M dito normal, com todas as medidas "normais", não faço questão de me sentir um cachalote ou uma miniatura do mesmo sempre que aí entro. Minha cara loja, se já foste uma das minhas preferidas, hoje, do pouco que se ainda aproveita, já te esqueci. Já nem faço questão de aí entrar mais. Prefiro ir mil vezes à Zara, onde ainda me posso sentir bem normal, e a qualidade é, por norma, ainda melhor.  

Sobre usar óculos...

Coisas que nunca ninguém fala

Olá malta, 

Hoje trago um post com coisas que sempre acontecem a quem usa óculos. Pessoas lindas que os usam porque cuidar da visão é essencial, tenho a certeza que irão se identificar com este post e talvez até achar alguma piada. 

Uso óculos desde os meus 14 anos em que foi me diagnosticado miopia de grau - 2,5 e manteve-se desde então. A minha mãe não acreditava quando me queixava de que não via o que estava escrito no quadro da escola e foi num rastreio à visão na escola que de facto fez-se luz. Ela achava que era uma questão de vaidade (sendo eu nada virada para essas coisas!! Nadinha, mesmo.) enquanto, na verdade, tratava - se de uma questão de saúde visual. Hoje já não os largo, quer dizer, idem áspas porque as lentes de contacto, mesmo que não use todos os dias, são a melhor coisa que aconteceu na minha vida. 

Por isso, sou muito solidária com todas as pessoas deste mundo que, independentemente do seu problema de visão, precisam tanto deles como o ar que respiram. Daí a ideia deste post.

Vamos lá juntar factos que acontecem quando se trata de óculos?

1º Ser chamado de "caixa de óculos"

Expressão incontornável para quem simplesmente necessita de óculos para não ver borrões, neblina, para descansar a vista ou simplesmente para corrigi-la. Típico. Não levem tanto a peito. É algo que nos define com um "grupo/estatuto social", it's fancy porque ninguém escolhe fazer parte dele. Como costumo dizer, "ser caixa de óculos não é para quem quer, é para quem pode!"

2º Os chuviscos atrapalham 

Uma gota aqui, uma gota acolá, uma pinga de chuva mesmo em frente ao nosso campo de visão... eu sei, irritante! São nestas alturas em que gostava que tivessem limpadores em miniatura em que era só carregar num botãozinho e faziam o seu trabalho, como se fosse num carro. (Imaginação muito fértil.. deixem a "criança" sonhar)

3º As dedadas enervam 

Odeio dedadas e de vez enquanto acontece, sobretudo quando estás em contacto com bebés que têm a mania de agarrar nos teus óculos pelas lentes. Então se for estas lentes todas XPTO com aquele efeito para reduzir o grau, esqueçam.. Deus nos acuda! 

4º Calor, transpiração e óculos

Muitos de vocês talvez não terão esse problema mas, aqui na Madeira, é um paraíso tropical que chega ao ponto de muitas vezes, suarmos horrores com este clima húmido. E eu ODEIO (com todas as letras) isso. Na zona do nariz, precisamente onde encaixa os óculos, cria - me algumas borbulhas interiores de vez enquanto que dói um pouco e faz com que seja desconfortável usar óculos, no entanto, uso. 

5º O vapor quente embaceia os óculos

Calma, respirem e não pirem. Também é terrível o facto de por vezes abrirem a tampa do tacho onde estão a cozer arroz e levarem com aquele bafo todo na cara, embaceando os óculos. E quem diz cozinhar arroz, diz qualquer tarefa que implique vapor. Eu sei, eu abano as minhas mãos perto das lentes para que volte ao meu estado normal rapidamente.

6º Exercício físico e óculos

Se há coisas que não combinam é exercício físico e óculos. Recuso-me. Posso estar quase cega até mas para mim é um grande não. Vou para o ginásio com óculos e chego ao balneário e os tiro. Não resulta para mim. 

 

E isto é algumas coisas que quem tem óculos passa, tirando as consultas de rotinas, as mudanças de lentes, as alterações de graduação, etc. Será que me esqueci de alguma situação caricata?

Se se lembrarem de mais situações, podem sempre compartilhar nos comentários, vou adorar ler todos. 

 

 

 

 

 

A autora

foto do autor

Translate

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D