Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Conversas e Café

O Diário da Quarentena: Dia 6

E ao sexto dia de quarente, dia 18 de março, foi decretado pela primeira vez estado de emergência por Marcelo Rebelo de Sousa após todo o parlamento aprovar esta decisão. Bem, é triste ver a que ponto as coisas chegaram, poder assistir a este tipo de situação sair do controlo e não puder fazer nada, não puder salvar vidas. Ontem, morreu a segunda pessoa com COVID-19, apareceu mais dois casos na Madeira, subido assim para três o número de infetados e ainda apareceu os dois primeiros casos no Alentejo, mais especificamente em Évora. E também ontem, por outro lado, mais uma pessoa recebeu alta por estar curada deste mal que é o Coronavírus. 

Olho para tudo isto com uma certa tristeza, agonia e distanciamento. Custa-me ir à varanda ou olhar pela minha janela para a rua e não ver ninguém. É como se morasse no meio deserto ou de uma floresta. Nas varandas já se vê lençóis velhos brancos com arco-íris pintado apelando à mensagem de que dias melhores virão, não sabemos quando, mas os dias melhores sempre veem, não há tempestade que dure para sempre. "Atravessamos tempos difíceis" disse o nosso presidente, Marcelo Rebelo de Sousa, e disse muito bem, pois são tempos de maiores restrições, de maiores cuidados, de alguma ansiedade também mas se há coisa que nunca devemos deixar de ter é esperança. Como diz o povo "a esperança é a última a morrer" e são em momentos como estes que não pudemos deixar de acreditar, por mais difícil que pareça, que a vida há de dar um jeito, que o universo irá se ajustar e que tudo vai dar certo, aos poucos. 

É triste, mas ao longo da nossa história, já passamos por muitas tempestades e mesmo assim todas essas adversidades não deixaram de construir as pessoas que somos hoje. 

Após este pequeno, grande desabafo, deixo-vos um ponto de situação sobre o meu sexto dia, entre muita leitura e séries, tive tempo para me dedicar aos estudos, fazer exercício físico, ouvir os vizinhos de baixo aos berros todo o santo dia porque não sabem comportar-se como pessoas civilizadas, e também tive tempo para ficar viciada numa série, Love Is Blind e deitar rios e rios de lágrimas por conta dela. 

E assim se segue forte mesmo em quarentena voluntária, lava-se muito bem as mãos, medir a temperatura, enfim.. nível de sanidade mental: 85%, uma pessoa aguenta! 

Conversar :

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

A autora

foto do autor

Translate

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub