Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Conversas e Café

O conceito de amor próprio

Mas qual é o mal de se olhar ao espelho e dizer "És tão linda/o"? E qual é o mal de repetir isso vezes e vezes sem conta? Será que se deve considerar uma pessoa convencida quando pensa isso de si mesma? Ou será que é apenas o seu ego que está tão elevado ao ponto de cegar a razão e falar por si? Ou será, simplesmente, o nosso amor próprio? 

Das três, eu escolho amor próprio, sem dúvida. Nos tempos de hoje esta expressão de amor próprio está tão fatigada ao ponto de ser considerada banal, ou um luxo. As pessoas arranjaram sinónimos que nem têm nada haver com esta expressão de modo a rotulá - la. Seguindo o raciocínio destes seres pensantes e dotados em não pensar, amor próprio é o mesmo que ego, é o mesmo que dizer "pessoa convencida". Não, não é, são apenas rótulos que a sociedade em pleno século XXI faz questão de atribuir de forma triunfante e gloriosa. 

Portanto, eu ao dizer "Sou tão linda" estou a reacender, dentro de mim, a chama de amor próprio, de autoestima e auto aceitação. Posso não ser "linda" aos olhos dos outros, podem atribuir-me até mil e um defeitos. Mas aos meus olhos, mesmo consciente das minhas imperfeições, dos meus defeitos, do meu feitio, das minhas qualidades, eu consigo admirar-me, valorizar-me e ainda, o mais importante, AMAR - ME, como nunca ninguém alguma vez me amará. 

E com estas minhas últimas palavras, cai o Carmo e a Trindade. É difícil aceitar esta verdade, eu sei. Nós seres humanos que procuramos incessantemente por alguém que nos ame, que nos complete, a nossa cara metade, quiçá. Já pararam para pensar que elas não nos amaram tal e qual como queremos ser amadas? Ah pois. O amor que recebemos dos nossos pais, da nossa família, dos nossos amigos ou até mesmo da nossa cara metade, nunca será igual e tão intenso como o amor próprio. Daí eu dizer e voltar a repetir, jamais alguém nos  amará como nós próprios nos amamos. Se estiverem com um vazio no coração, a sentirem - se sozinhos e/ou incompletos, então estão a amar-se muito mal. Ninguém necessita de um príncipe ou uma princesa encantada na sua vida para se sentir completo e realizado. Claro que é sempre bom ter alguém que nos faça sentir importantes e especiais. Necessitam de saber olhar para vocês com os vossos olhos e não com os olhos dos outros. Olhar e ver o vosso potencial e aceitarem-se tal e qual como são.

Amor próprio é isso. Reconhecer, aceitar e melhorar. Um trabalho contínuo, de pura evolução. Um trabalho que completa o vazio no coração. 

Sejam felizes e lutem, sobretudo, por vocês. 

A autora

foto do autor

Translate

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub