Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Conversas e Café

A Saudade...

Guardo em mim a saudade... Aquele sentimento que não se explica, nem se traduz. Algo tão nosso, tão português que nasceu com o fado, e que se sente. Aquele desaconchego que inquieta até mesmo a alma mais serena. Há quem diga que a saudade é algo que causa a dor ou o desconforto, uma autêntica agitação na consciência.

A saudade muitas vezes utilizada para melhor descrever as memórias de um passado longínquo que não volta mais, aquele momento nostálgico em que sentimos um aperto no coração e até mesmo um brilho subtil no olhar. 

E é na saudade que vivemos, nos momentos de maior incerteza sobre o presente e até mesmo o futuro, são nas memórias o seu maior refúgio e o coração palpita a sua forma de expressar. E é neste sentimento que, mais nenhuma outra palavra sabe explicar, sonhamos e acreditamos. É na saudade onde fica guardado, bem arrumadinho, como se de uma gaveta se trata-se, tudo o que de melhor temos, os momentos, as memórias, as recordações. E quando aberta, experienciamos nostalgicamente o que foi, o que aconteceu. 

É nessa saudade, tão nobre e tão nossa, que vivemos o quotidiano, com esperança de um dia voltar a ser tudo como fora outrora. 

Sobre ela, pouco se sabe, pouco se explica mas sei que a sinto. A saudade de uma vida melhor, de uma liberdade desmedida, de momentos felizes ao lado de quem me faz sentir viva com abraços e mimos sem fim. É esta a minha saudade.

Qual é a vossa?

Fate: Tha Winx Saga - A Opinião

Estou em isolamento após ter chegado dia 25, segunda - feira, à Madeira. Sem data de regresso e com um segundo teste para realizar, uma pessoa enjaulada entre as quatro paredes, não tem feito muito senão consumir, e muito, Netflix

Hoje venho falar-vos de uma das séries que vi em quatro dias. Já tinha começado a vê-la quando estava do outro lado do Oceano Atlântico, mas acabei aqui, já confinada. Devo confessar que estava com as expectativas bem altas quando a comecei a ver. 

Sinopse:

"Fate: A Saga Winx é uma série live-action baseada na popular série animada Clube das Winx. A série gira em torno de seis fadas populares que devem aprender a controlar seus poderes mágicos frequentando uma escola em um mundo fantástico. Alfea é uma escola situada no Outromundo que tem por objetivo formar as fadas e instruí-las na arte da magia que já existe há milhares de anos. Apesar disso, nenhuma fada que esteve em Alfea se parece com Bloom (Abigail Cowen), que foi criada no mundo humano. Bloom é uma fada impulsiva, gentil e perigosa para aqueles ao seu redor. Por dentro, Bloom possui um poder com a capacidade de acabar ou salvar os mundos que fazem parte dela. Para se sobressair, Bloom precisa manter o controle de suas emoções. Sendo apenas um adolescente, as coisas podem ficar complicadas. Jovens fadas estarão à beira de emoções, amor, rivalidades e inimigos que ameaçam suas vidas." *
 

Opinião:

Como já referi tinha as expectativas muito altas para esta série desde o dia em que a Netflix revelou o trailer. Até, na altura, houve quem criticasse o facto de terem pegado no desenho animado e feito um live action, outras críticas também recaíam sobre a mudança de nome das personagens e tudo mais. Só aguardei, ansiosamente e expectante, para ver o que sairia dali. E uau! Se me permitissem descrever esta série em uma palavra seria INTENSA. Primeiramente deixa-nos curiosos, depois com muita magia e fantasia pelo meio, complementada de ação, desperta aquela súbita vontade de querer ver o que vai acontecer depois mesmo que nos possa a vir a assustar um pouco. Depois, lembrem-se das críticas? Esta série é muito mais que uma live action, é, pois, baseada nos desenhos animados que, se por um lado, desperta uma certa nostalgia ao relembrar da nossa infância, por outro, é muito mais do que isso e não tem nada haver. Esta série, apesar da fantasia que a envolve, torna-se muito cativante e atual tendo ela um elenco muito jovem que alerta para certos comportamentos da adolescência dos nossos dias abordando temas como álcool, drogas, relacionamentos, bullying, complexos com o corpo, etc. E achei muitíssimo importante esta série incluir todos esses temas que são muito debatidos no quotidiano dos adolescentes. Numa outra perspectiva, além disso, considero-a intensa pela história em si e nas proporções que ela vai tomando no desenrolar da ação (não vou dar spoiler para quem ainda não viu mas o coração vai palpitar). Já para nem falar da caracterização das personagens, desde a roupa, os acessórios, a própria maquilhagem, e quando falo da maquilhagem não é só aquela que se vê na cara mas também como caracterização dos golpes, das feridas, tudo isso de um trabalho extraordinário e de louvar. E um outro elemento a destacar é a edição. Que incrível!

Na minha opinião, para quem ainda não viu, ou viu e depois acabou por desistir nos primeiros episódios, ou para quem está a considerar ver, acho que devem de dar uma oportunidade. Nos dois primeiros episódios podem achar um pouco sem interesse mas garanto-vos que é uma série que prende imenso e surpreende pela positiva. Por isso deem lá uma oportunidade e garanto-vos que não se vão arrepender. Nota que tem conteúdo gráfico principalmente sobre feridas e pessoas mortas em que são captadas com o máximo detalhe por isso ser uma série classificada pela própria Netflix para +16 e só alertei para o público mais sensível. 

Eu rendi-me e só espero uma segunda temporada, que ainda não foi confirmada pela Netflix, para resolver alguns mistérios que foram deixados no ar nesta primeira temporada. 

Recomendo imenso!

 

(* Sinopse retirada do site AdoroCinema)

(Imagem: Google)

PUMATRAC - a nova app de fitness

Com a chegada desta segundo confinamento, não há desculpas para deixar os treinos mesmo que sejam em casa. E hoje, vim partilhar convosco a minha mais recente descoberta de uma app para treinar em casa. É a PUMATRAC. Tal como a Nike e a Adidas, a Puma também lançou uma app para treinos em casa em que juntou várias pessoas do mundo do fit para elaborar treinos que compõe os diferentes níveis, adequados para a condição física de cada um, desde treinos para iniciantes, intermédios e avançados, vocês conseguem escolher, o grau de exigência e a área específica que querem trabalhar. 

Já partilhei na outra quarentena que estava a utilizar a Nike Training Club, que continua no top de aplicações de fitness que eu gosto para me exercitar em casa, no entanto, comecei a ficar "cansada" com a monotonia dos exercícios de cada treino, achando repetitivo até. E foi aí que decidi experimentar esta e confesso que fiquei muito surpreendida. Outro ponto a favor desta app é que vocês não necessitam de descarregá-la obrigatoriamente, isto é, podem fazer exercício através do site precisando, sim, apenas de criar uma conta onde deve ser inserido os dados necessários para adequar os treinos e app recomenda alguns treinos para vocês mas isso não significa estar limitados aos mesmos. Alias, a app/site permite escolher entre treinos mais curtos, treinos de alta intensidade (HIIT), treinos de força e muitos outros e podem ainda, adicionar treinos aos favoritos para o voltar a fazer um dia mais tarde. 

Resultados: São treinos que, na minha opinião, e de todos os que já fiz, quando vocês acabem sentem-se bem e cheios de energia, cansados e transpirados mas sem dor, como se não tivessem trabalhado demasiado aquela área, no entanto, essas dores só chegam no dia seguinte. 

Recomendo-a sinceramente, os exercícios são diferentes e têm muitas opções de treinos para escolher. 

Vocês já a conheciam?

 

(Imagem: Google)

Músicas para Stories #2

Voltei com a segunda parte de uns dos posts mais vistos aqui no blog. Quem está preparado para a parte de dois de sugestões de músicas para o vosso stories? Hoje vim deixar-vos com um mood mais calmo, tranquilo e relaxante. Ou seja, ao contrário da primeira publicação (link aqui), esta ganhou um outro nível, mais relaxante e melancólico para as vossas publicações. Pode ser que até conheçam algumas, ou a maior parte, ou talvez não, mas prometo que vamos sair do cliché musical que tanto se ouve por aí. Vamos a isso?

E assim terminamos mais um post repleto de ideias de músicas para stories, sobretudo para aqueles dias mais melancólicos. 

Espero que tenham gostado.

Até ao próximo post. 

 

P.S.: não se esqueçam de acompanhar o meu insta (@julianamf1609) que está a acontecer muita coisa por lá e ficar a par das novidades no Reels. ☺️

Bridgerton - A Opinião

Voltei com mais um post daqueles que vocês mais gostam de ver por aqui. Vamos falar sobre séries? Esta é uma das mais recentes da Netflix, saiu dia de natal, a 25 de dezembro de 2020 e eu só vi na semana passada. Não, não foi falta de curiosidade, foi mesmo por querer focar-me e dedicar-me a duzentos por cento nos estudos, porque época de exames é sempre muito atribulada, e decidi por bem deixar a Netflix de lado por uns tempos. Foi necessário. Mas agora que já a vi, depois de todo o rebuliço nas redes sociais, ainda há pessoas que estão indecisas sobre ver ou não esta série. Então se também fazem parte desse grupo de pessoas, deixo-vos aqui a minha mera opinião (que vale o que vale, atenção!) sobre ela. 

Sinopse:

"Baseada no livro best-seller de Julia Quinn, Bridgerton mergulha no mundo sensual, luxuoso e competitivo da alta sociedade londrina do início do século 19. Na época, a família Bridgerton, composta por oito irmãos, se esforça para lidar com o mercado de casamentos, os bailes suntuosos de Mayfair e os palácios aristocráticos de Park Lane. Daphne Bridgerton (Phoebe Dynevor), a filha mais velha do respeitado clã, se encontra à procura de um marido adequado. Como seus pais, ela gostaria de se casar por amor, mas o irmão mais velho atrapalha seus planos e torna ainda mais difícil sua busca. Quando Daphne conhece o duque de Hastings (Regé-Jean Page), o solteiro mais requisitado da temporada, as faíscas brilham entre os dois. Não bastasse o fato de ambos agirem como se não estivessem interessados um pelo outro, um escândalo preparado por Lady Whistledown (na voz de Julie Andrews) faz com que o nome de Daphne seja manchado. Para se defender das calúnias, ela decide se aliar ao rebelde duque, colocando à prova os valores e as aparências da elite de Londres." *

Opinião:

Vou ser sincera, não sou muito de séries de época, mas esta cativou-me de um modo especial. Já tinha ouvido falar tão bem dela que a cada comentário que lia sobre a série mais curiosidade acrescia dentro de mim e corroía - me toda por dentro. Tenho que vos dizer, VALE A PENA CADA SEGUNDO! Adorei a história, que é baseada numa história verídica, e a relação da Daphne e do Simon (A.K.A Duque de Hastings) é qualquer coisa (#goals). Mas as histórias das personagens secundárias também são fascinantes o que torna a série com ainda mais consistência. E é tão interessante como todo o enredo evolui desde o primeiríssimo episódio até ao último segundo do episódio oito. Juro que vale muito, mas mesmo muito, se deliciar com esta série, entre amor, vingança, cobiça, conseguimos aprender e tirar partidos de muitas lições que estão presentes no decorrer da temporada e perceber as razões das personagens reagirem assim no entanto, necessita de associações para as interpretar. No entanto, não considero que seja exaustiva, muito pelo contrário, despachei-a em pouco menos de dois dias portanto, acho que deu para entender o quão interessante e o quão ela me prendeu ao ecrã. 

Já quero a segunda temporada. 

Quem já viu, o que achou? 

 

( *Sinopse retirada do site Adoro Cinema )

(Imagem: Google)

Em casa mas com estilo...

E estamos outra vez confinados. Mentalmente estou a insultar o facto de estar em confinamento tal como a maioria dos portugueses, residentes em Portugal Continental (isto porque nas ilhas a história é outra!). Não, não estava a contar ficar outra vez restringida da minha "liberdade" (ou o pouco que restava dela!) e ficar restrita a quatro paredes, desta vez longe de casa e dos meus. Mas quando o futuro parece incerto, não nos resta outra coisa se não respeitar mesmo que estejamos psicologicamente fartos e cansados destas condições em que vivemos, o que é algo compreensível mas mesmo assim, mais que nunca, cabe-nos a nós seguir as recomendações de ficar em casa. 

Eu sei que, para muitos de vocês, ficar em casa significa ver Netflix o dia inteiro, enroscados nas mantinhas no conforto do sofá e... de pijama? O quê? Quem se lembrou disso? Estamos confinados mas não restritos ao nosso armário. Mas alto lá, também não vamos vestir aquele vestido de gala, ou aquele fato promissor de uma ocasião festiva. Cabe a vocês decidir mas, a meu ver, já falei por aqui que é necessário manter uma rotina nestas alturas de confinamento. Quando falo em rotina refiro-me até ao simples facto de se fazer atividades como se fosse um "dia normal". E obviamente que os pijamas, por mais confortáveis que sejam, não foram feitos para estarem grudados ao corpo vinte e quatro horas sobre vinte e quatro horas. 

Daí trazer umas sugestões os nossos queridos lougewear, quer dizer, neste caso, homewear. Estes conjuntos já fizeram furor na quarentena passada mas desde então, foi uma das modas adotadas pelas fashionistas, ganhando, assim, um principal destaque. E para esquecer os pijamas lindos que receberam no natal, esta opção é uma alternativa cheia de estilo, para passar os dias, seja em teletrabalho ou na "ronha" por assim dizer. 

Mas, para vos deixar com ainda mais interesse nesta opção, deixo-vos aqui em baixo, algumas das tantas opções que existem e que são de cortar a respiração. 

Por esse lado, ainda alguém necessita mais motivos para não usar pijama o dia inteiro? 

Espero que esteja tudo bem convosco, protejam-se e fiquem em casa... mas sempre lindas e maravilhosas!

 

 

(Imagens: Pinterest)

Os meus essenciais para o frio...

Primeiro post do ano com temperatura na ordem dos 2ºC neste exato momento em Coimbra. Nunca pensei, alguma vez, sentir tanto frio na minha vida nem que houvesse tanta discrepância de temperaturas que o inverno na Madeira. Mas, uma pessoa habitua-se, em tempos de pandemia parece que fica mais fácil aquecer visto que a maior parte do dia é passada em casa, debaixo dos cobertores, com muita roupa vestida, uma pessoa habitua-se. 

Mas hoje decidi partilhar convosco os meus essenciais para este gelo descomunal, muitas dicas que mudaram a minha vida de uma tal forma que já nem quero saber de outra coisa. 

 

1. Collants Térmicas

Vocês não têm noção do que estão a perder caso não as tenham. Devo ter, sem exagerar, umas sete ou oito. E faço tanto uso delas, seja para dormir visto-as por baixo do pijama ou para o meu dia a dia, mesmo por baixo dos jeans, elas estão sempre presentes. E sem querer publicitar as lojinhas do chinês, que são na verdade igual a tantas outras, são um dos melhores investimentos que vocês podem fazer na vossa vida e há para homem como para mulher.  

 

2. Camisolas de Lã

As chamadas sweats, são um must have nestes dias frios. E a melhor parte é que recebi mais delas no natal, alargando, ainda mais a minha coleção. São maravilhosas, tenho que admitir. Para além de muito quentinha, dá para compor inúmeros outfits com elas sem perder o estilo. E são tão quentinhas. 

 

3. Casaco preto

Um outro investimento incrível que fiz foi o meu casaco preto da Zara. Há muito que queria um casaco preto e ainda fico perplexa o quão ele já se tornou imprescindível para estes dias de frio. Comprei-o em novembro, ainda antes de saber o que era frio mas ele tem sido o meu melhor amigo desde então.

Ref: 3046/304 | 39,95€

 

4. Camisolas térmicas 

Tal como as collants térmicas, uma outra coisinha indispensável neste inverno são as camisolas térmicas. Já não consigo viver sem elas. Faço sobreposição de camadas com elas antes de colocar a camisola que quero que se veja ou até mesmo por baixo da sweat, para garantir que estou bem quentinha. E tem sido assim os meus dias, sempre que vou sair ou para ir para a faculdade ou para fazer o básico (e ao básico, na minha perspectiva é ir ao supermercado, à padaria ou à farmácia!) não consigo resistir e uso-as. 

 

5. Pijamas Polares 

Até podem gozar da minha pessoa quando eu referir que por baixo dos pijamas polares ainda me atrevo a usar collants térmicas, sim é verdade. Mas não consigo adormecer se não me sentir confortável e tal conforto também implica estar quentinha. Não vou negar o quão os pijamas polares são, para mim, algo a ter em consideração para este frio terrível. E sim, têm sido a minha salvação para proteger do frio. Ainda assim, coloco um casaco de pelo por cima do pijama para dormir ainda mais quentinha. E não, não estou a exagerar, não é nada fácil viver com temperaturas que lá fora rondam os 2 ou 3ºC à noite. 

 

6. Mantas Polares

Tenho duas e já não sei viver sem elas. Podem achar que isto é uma hipérbole mas para mim, menina da ilha, que reclamava de frio quando faziam 13ºC, claramente que não estava preparada para o que aí vinha. Agora, quando o termómetro marca 13ºC, para mim, é motivo para festejar. Por isso, acho tão essencial as minhas mantinhas, até mesmo, e especialmente, quando estou na minha secretária a estudar, é tão bom estar enroscada de qualquer das formas a elas. 

 

7. Gorros com Pompons 

Devo admitir que tenho algum atraso cognitivo quando se trata a gorros com pompons. Não sei porque raio é que sempre que vejo um, apetece-me logo comprar. Não sei bem explicar. Já tenho uma "coleção" deles seja com pelo por dentro ou de cores diferentes, são sempre a minha opção e acho que fico incrivelmente fofa com eles na cabeça portanto, mais um motivo para a minha veia consumista se sobressair. 

 

8. Hidratante Labial

Se não fosse o meu Carmex, o que seria de mim? Com este frio e tirando o facto de usar máscara, os meus lábios ficam gretados e extremamente sensíveis e confesso que desde que o testei, já nem quero saber de outra coisa. E para quem ainda não viu, fiz review dele com todas as informações detalhadas sobre ele inclusive onde comprar e o preço dele. 

 

E pronto meus amores, foram estes os meus essenciais para o frio. 

Protejam-se deste frio, mantenham-se sempre hidratados, sobretudo com bebidas quentes com chás, por exemplo, e agasalhem-se bem.

Bom ano meus lindos!

 

 

 

 

 

A autora

foto do autor

Translate

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub