Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Conversas e Café

Quarentena? E agora?

Não queria ser mais uma pessoa a falar do COVID-19 mas o assunto é incontornável. Sobre o Coronavírus há muito que se lhe diga, tenho até uma opinião formada sobre ele e uma teoria mas prefiro guardá-la só para mim. 

Hoje decidi compartilhar convosco algumas ideias do que fazer em caso de quarentena e/ou isolamento social. Mas antes de começar, quero relembrar que estar de quarentena NÃO É estar de férias portanto comportem-se em vez de encher as praias (seja em Carcavelos ou em qualquer outra praia do país) ou centros comerciais, ou o que for. 

Aqui vai algumas ideias do que fazer para combater o aborrecimento. 

  • Ler - aproveitemos esta pausa para por em dia as nossas leituras, ler um livro antigo ou fazer a compra de livros online pela plataforma Wook, por exemplo, com a máxima segurança.  
  • Fazer maratona de filmes e séries - porque não atualizar a temporada em atraso da sua série predileta e/ou fazer maratona de cinema no conforto da sua casa? Há tantos filmes lindos para se derreter, conhecer, ver e rever. 
  • Fazer maratona no YouTube - se fosse vocês, faria uma maratona de Felipe Neto, eu juro há canal do YouTube que me deixa tão bem disposta e a rir às gargalhadas mesmo quando não há muitos motivos para isso é, sem dúvida, o canal deste YouTuber brasileiro que é só dos YouTubers mais vistos em todo o mundo. Mas há muito para ver por lá. Aproveitem!
  • Ler mais o blog - Agora que também estou neste clima de "isolamento social" por questões de precaução que o Governo Regional e Central implementaram, vou ter mais tempo para produzir conteúdo para vocês e por isso conto com a vossa ajuda e faço um apelo com assuntos de posts que vocês quisessem ver por aqui, qual quer sugestão será tida em conta. 
  • Exercitar - Mesmo com o ginásio fechado não há desculpas! Vamos lá arrastar os móveis de casa para criar mais espaço para fazer uma sessão de exercício físico. Eu já me preveni e instalei a app Nike Training Club no meu iPhone para começar a fazer. Esta app também está disponível para Android, iPad e uma versão para o Apple Watch. Vamos lá. 
  • Organizar o closet - que tal dedicar um tempinho ao closet? Organizá-lo, selecionar as peças que pretende manter separando-as daquelas que pretende se desfazer, doando-as para alguém. É uma ótima terapia e eu garanto que é uma ótima maneira de se manter ocupada por mais tempo. 
  • Dia de spa - Qual foi a última vez que tirou um tempinho só para si? Pois bem, um dia de spa caseiro, com uma esfoliação corporal, cuidados com o rosto e corpo, porque não? Relaxe e esqueça o vírus por algum tempo!

E estas foram algumas ideias que eu mesma vou utilizar neste período mais crítico da epidemia e esperar que corra tudo pelo melhor e que tudo se resolva bem rápido. 

A minha proposta para vocês mantém-se: deixem as vossas sugestões de assuntos de posts que gostam de ler e que gostariam que fossem abordados aqui no blog, qualquer sugestão, por mais descabida que vos possa parecer, será tida em conta. 

Cuidem-se bem, respeitem a vossa saúde e de quem vos rodeia!

 

Os meus shampoos favoritos...

Hoje vim falar-vos dos meus shampoos preferidos, aqueles que acredito que fazem milagres ao meu cabelo, que conseguem dominar a fera. O meu cabelo tem tendência para a oleosidade por isso tem como costume lavar dia sim, dia não é nos dias que ele está a passar por um mau bocado eu sempre invento uma maneira para que ele não pareça assim tão mal pelo menos até a próxima lavagem. 

Por isso, vim mostrar-vos os meus shampoos preferidos no momento por ordem de preferência. 

9FA6C147-2D0A-47AC-A1B8-5EA3B5597962.jpeg

Miracle Light da Aussie - o meu favorito dos favoritos! Deixa-me o cabelo bem fresco, leve e brilhante. É, talvez, dos mais caros da lista mas sempre que o uso eu adoro e mantém o meu cabelo livre de qualquer resíduo de oleosidade até à hora de o lavar novamente. Por acaso nunca mais o encontrei no supermercado mas quando o apanhar vou fazer stock cá por casa. 

59D7B115-1808-48F1-AF41-7CD85DF633B7.jpeg

Fiber Therapy da Gliss (Schwarzkopf) - também é um dos mais difíceis de encontrar neste momento no supermercado. Eu adoro-o simplesmente pelo aspeto tão saudável e nutrido que ele dá ao cabelo e o cheiro tão bom que ele deixa fala por si. 

D07A26A7-A59E-441A-BA4F-E28850D4B3BB.jpegMicellar Shampoo Pure Fresh da Syoss - para mim, de todos os shampoos micelar que já testei, este é o meu favorito! Deixa o cabelo leve, brilhante e tão bonito. Gosto sobretudo do aspeto e da sensação de frescura que ele deixa no couro cabeludo. Fica solto e tão lindo até mesmo no dia em que já preciso de lavar. 

A8A2DF07-15EF-4CE2-AA31-B3FB06705BD5.jpeg

Prevenção Queda com Extrato de Bambú da Pantene - Também gosto deste. Ele não deixa qualquer resíduo de oleosidade até ao dia da lavagem, inclusive. Coisa que eu adoro para além de ajudar na prevenção quanto à queda de cabelo, coisa que também me preocupa um pouco. 

8A867784-103C-4EFF-90A4-167C8362A904.jpeg

Total Repair da Gliss (Schwarzkopf) -  Eu acho que o compro mais pelo cheiro que lembra algo como café (??) eu para descrever cheiros sou péssima. Para além de toda a nutrição, brilho e saúde que ele dá, ele é tão cheiroso, meu Deus! 

Estes são os meus preferidos. Já experimentaram algum destes? Quais o que acham que eu deveria experimentar também? 

E sábado a terra abanou...

Hoje, após este evento "traumático" (pelo menos para mim) já consigo rir e fazer piadas, agora que o pânico já passou, posso relatar-vos esta experiência na primeira pessoa. 

Sabem aquelas coisas que vocês dão na escola mas que nunca pensam viver ou precisar na vossa vida? Pois, esta foi uma delas. Nunca pensei na minha vida ter que precisar dos métodos a fazer quando há um sismo. Talvez fosse precisar efetivamente quando fosse de viagem para os Açores ou para qualquer outra região do mundo onde a atividade sísmica é ativa e ocorre com uma maior frequência mas nunca pensei que fosse ser necessário na minha ilha. É do conhecimento de todos que no sábado, dia 7 de março, pelas 20:58h houve um sismo de magnitude 5.2 (informação atualizada pelo IPMA) na escala de Richter a 40km a Sudoeste da Deserta Grande sentido em toda a Ilha da Madeira. 

Posso dizer que foi o primeiro da minha vida. O último registo de um sismo tão forte quanto este foi à 45 anos. Foi uma sensação horrível. Estava em casa com a minha mãe, o meu pai estava a trabalhar e de repente, a mesa da cozinha (de vidro) começa a estremecer por tudo o quanto era lado, senti umas ondas a oscilar debaixo dos pés no sentido vertical e levantei-me de imediato e afastei-me dos vidros e objetos que possivelmente poderiam cair, agarrei-me à minha mãe, em pânico, ela em estado de choque pois ainda não acreditava que era um sismo e ficamos à espera que passasse, simplesmente. Na mente dela, era um carro que estava a cair na estrada por detrás da nossa casa mas eu apercebi do que se tratava desde o início. 

Depois fomos para a varanda e onde os vizinhos estavam todos, assustados e ainda a tremelicar. Infelizmente, estes lados, onde moro, foi onde se sentiu mais. O pânico estalou-se por todos os lados até nos centros comerciais, foi horrível. Tão horrível que duas horas depois ainda tremia e as lágrimas escorriam pelo rosto abaixo. 

Não sei, na altura do acontecimento, tudo passou pela mente, vivenciei o medo no estado mais puro e vi a morte bem ali à frente e não, não estou a exagerar. Foi terrível. Mas talvez fosse esses abanicos que precisava para perceber que tudo na vida é uma questão de segundos, tudo muda num abrir e fechar de olhos. Foi a noite mais mal dormida de sempre, foi a noite que acordei aos gritos traumatizada com a situação, foi a noite em que senti tremer mais duas vezes e ao que indica mais ninguém sentiu, será psicológico? Não sei! 

Enfim... mas aqui estamos nós. Hoje já se faz piadas mas os risos ainda são nervosos. É tudo muito recente mas, mesmo assim, não houve registos de danos materiais nem humanos, o que já é ótimo. 

Ensino Profissional e acesso ao ensino superior SEM EXAMES

Eu não sou de falar sobre estas coisas, muito menos de intrigas mas não consegui ficar indiferente a esta notícia. 

IMG_1340.PNG

É minimamente revoltante, não só para nós, alunos de cursos científicos-humanísticos que nos matamos de manhã à noite a estudar e a contar cada décima para podermos atingir os nossos objetivos e entrarmos no nosso curso de sonho mas também para os professores que se dedicam a nós para que possamos atingir os nossos objetivos e que fazem de tudo para nos ajudar a ultrapassar qualquer dificuldade que a matéria lecionada nas aulas possa causar, mas ninguém pensa nisso, não é verdade?

Mas é ainda mais revoltante para mim. Eu que tive de perder mais um ano da minha vida a fazer melhorias para puder entrar no ensino superior, eu que me dedico a quinhentos por cento e que me preocupo com o dia de amanhã para agora chegar estas pessoas e decidirem que, efectivamente, os alunos do profissional podem candidatar-se às universidade com o privilégio de nem realizarem exames nacionais (só falta mesmo estenderem o tapete vermelho para eles passarem, juro!). Exames esses que serve como prova de ingresso para entrar no curso e que para eles não é (mais) necessário. 

A sério, o que será que eles têm de diferente de nós? Só porque têm mais carga horária do que nós, alunos ditos "normais"? Sim, até podem ter mas isso não implica que nós, alunos "normais", depois das horas de aulas não tenhamos atividades extracurriculares ligadas à escola como explicações, apoios e tudo mais que também preenchem grande parte do nosso tempo. 

Pergunto-me que sociedade andamos nós a criar? Uma sociedade que não luta pela vida e que têm tudo de forma fácil? 

Vamos lá ver estes exemplos hipotéticos, um indivíduo vai ao médico com dores e uma data de sintomas, o médico que lhe analisa (que estava no curso profissional de eletricidade, por exemplo) às tantas até pesquisa no Google os sintomas e dá-lhe o diagnóstico errado e prescreve uma medicação nada a haver à doença real do paciente. Um outro indivíduo vai a um outro profissional de saúde com os mesmo sintomas, o médico (que estudou biologia desde o 10º ano) não falha no diagnóstico e prescreve a medicação indicada. Qual dos indivíduos tem mais probabilidade de sobreviver e de curar-se? Ah pois! 

Não que tenha nada contra às opções de ensino que cada um escolhe seguir contudo há limites e devem ser clarificados. 

Para mim, o ensino profissional, tal como o nome indica, deveria ser específico para pessoas que pretendem fazer o 12º ano numa formação em específico e que não queiram ingressar no ensino superior. Enquanto que nos cursos científicos-humanísticos, os alunos que lá estiverem inseridos, pretendem completar o 12º ano e eventualmente prosseguir com os seus estudos até ao ensino superior. 

Isto assim era perfeito, ninguém tirava o lugar de ninguém e as águas estavam devidamente separadas. Pois estou certa que a facilidade de tirar 19 ou 20 valores é muito maior no ensino profissional do que num curso científico-humanístico independentemente do que ele for. Daí e só por isso a minha revolta.

O facto de alunos deste "método de ensino" conseguirem entrar com maior facilidade no ensino superior pelas médias incríveis e ainda por cima sem exames, bom constatar, e nós alunos "normais" que andamos todos tontos a somar todas as décimas para pudermos seguir o nosso sonho e concluir os nossos objetivos. E é tão frustrante esta situação ao ponto de eu não me conseguir me calar mais, já chega de gozarem da nossa cara e de desrespeitarem os nossos professores!

E o pior pensar é que isto mesmo só acontece em Portugal... enfim!

 

(Podem ler a notícia aqui)

 

 

Por detrás dos rótulos das embalagens...

Dia 04 de março é Dia Mundial da Obesidade. Em Portugal, os números sãoaterradores pois quase metade da população portuguesa apresenta excesso de peso e estima-se que cerca de um milhão sofre de obesidade. Mas as estatísticas vão mais longe e de forma tão assustadora, hoje saiu nas páginas do Diário da Madeira, que 70% dos madeirenses são obesos e isto deixa muito que pensar, pelo facto de ser, sobretudo, uma ilha. Que assustador, eu diria. 

Mas o que fazer contra isto? As estratégias implementadas pela Direção Geral de Saúde em conjunto com o governo passam por colocar os refrigerantes e bebidas açucaradas com um preço mais elevado mas a meu ver não é o suficiente. Se perder-mos um pouco do nosso tempo no supermercado a ler os rótulos das embalagens que escolhemos para a nossa alimentação e que consequentemente compramos, vamos aperceber-nos, finalmente, que há muitos alimentos "camuflados" pelas letras enormes a dizer "Light" ou "-30% de gordura e/ou açúcar adicionados" que, na verdade, não são minimamente saudáveis não só pela quantidade de açúcar e gorduras nem calorias mas como também pela quantidade de conservantes artificiais que só fazem mal à nossa saúde.

Não sou nutricionista para vos falar do assunto mas rótulos é algo que eu aprendi desde cedo a descodificar e tentar perceber se, de facto, era interessante para a minha alimentação. E hoje, vou vos ensinar como ler os rótulos.

Captura de ecrã 2020-03-04, às 19.12.55.png

Peguei aqui no exemplo das informações nutricionais de um refrigerante e agora vou ajudar-vos a analisar e o que se deve ter em conta. 

1º Porção - refere-se à quantidade de alimento (neste caso ml) utilizado para efectuar os cálculos nutricionais. Muitas das vezes aparecem por 100 ml ou 100g e a porção da embalagem na totalidade ou então aparece apenas a porção de 100ml ou 100g como valor de referência para os cálculos nutricionais. 

2º VDR ou VD - corresponde ao valor diário recomendado de consumo aparecendo pois em percentagem e tem em conta a dose de referência num adulto (8.400 kJ/2000kcal). 

3º Energia - quantidade de calorias do alimento. Utilizada como referência uma dieta de 2000kcal por dia.

4º Lípidos - são as gorduras presentes no alimento. Os lípidos saturados ou gordura saturada que aparece nos rótulos, são as gorduras que fazem mal à saúde, aquelas que devem de ser evitadas. Podendo ser consumidas no máximo 20g por dia. 

5º Hidratos de Carbono - são a principal fonte de energia do organismo. Por cada grama de hidratos de carbono, fornece 4kcal. São necessários no nosso organismo mas se não forem adequados ao seu estilo de vida podem ser uma das principais causas para distúrbios no peso. 

6º Açúcares - as "-oses". Podem ser considerado baixa quantidade de açúcar quando um alimento sólido não tiver mais de 5g de açúcar por 100g de produto ou quando um alimento líquido não tiver mais de 2,5g de açúcar por 100ml. 

7º Proteínas - Um alimento é considerado fonte de proteína quando, pelo menos, 12% do valor energético do alimento for fornecido por proteína. Cada grama de proteína corresponde a 4kcal.  

É tudo isto a ter em conta. 

Espero que seja mais fácil de desvendar o que está por detrás dos rótulos depois desta abordagem. Apelo para que percam tempo a escolher melhor aquilo que comem e bebem, pois tenho a certeza que a vossa saúde irá agradecer. 

 

Pág. 2/2

A autora

foto do autor

Translate

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub