Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Conversas e Café

O filme que ainda nem acredito que vi

  Ultimamente tenho tido a sorte de ir ver alguns filmes ao cinema e na passada sexta-feira, dia 23, vi um filme que tinha estriado no dia anterior, 22 de agosto. Por isso vim partilhar convosco a minha opinião. Eu juro que ainda não caí em mim como é que eu entrei no cinema para ver aquilo. Concordei com as minhas amigas e fomos juntas ver porque pelo trailer eu já estava mais ou menos a par de algumas cenas que iriam acontecer e fiquei muito curiosa pelo final da história. 

1C7E11C0-0338-456B-8653-1F9ED56138C8.jpeg

Sinopse

  A história da integração duma jovem noiva (Samara Weaving) na família rica e excêntrica do novo marido (Mark O'Brien) numa tradição familiar que se transforma num jogo letal onde todos vão ter de lutar pela sua sobrevivência. 

* (sinopse retirada do site cinemas nos) 

Trailer

Detalhes

Data de Lançamento: 22 de agosto de 2019

Duração: 95 minutos 

Direção: Matt Bettinelli-Olpin, Tyler Gillett

Género: Thriller

Idade: + 16

 

Opinião

 Fiquei muito curiosa pelo Trailer do filme como já referi anteriormente, mesmo sabendo que Thrillers não são dos meus géneros preferidos, aquele captou a minha atenção. Adorei o filme mas se vocês estão à espera algo do género que passa na FoxLife, por exemplo, desenganem-se. Aquele filme é uma mistura de suspense com comédia e de ação com terror, sem querer adiantar muito há partes que podem ferir a sensibilidade do público e perturbar o sono, o que não aconteceu comigo graças a Deus. A caracterização das personagens estavam muito bem feitas, desde penteados, a vestuário sem esquecer da maquilhagem e a edição também é de se retirar o chapéu principalmente no fim. É um filme diferente e só pelo trailer podem retirar a conclusão que antes de se casarem têm de conhecer bem a família do noivo/a. Adorei o filme embora não fosse a minha primeira escolha para ir ver ao cinema pois se estivesse em exibição um romance ou um filmezinho do Tom Cruise, esses sim seriam as minhas primeiras opções. Daí o título deste post, por ainda nem cair na real que vi um filme deste género com uma intensidade extrema durante TODOS os noventa e cinco minutos. 

Mesmo assim, sendo ou não o vosso género preferido de filmes, recomendo vivamente a verem porque é absolutamente incrível e se eu vi, vocês também são capazes de verem e tenho a certeza de que não se vai arrepender. 

Para quem já viu, o que achou? 

Coisas que me fazem confusão #2

Se no primeiro post de "Coisas que me fazem confusão" falei de moda e de um acessório mais criativo e pitoresco (para os interessados ou para os mais distraídos cliquem aqui) hoje vim falar de uma outra coisa mas desta vez a nível de valores que a sociedade de hoje está a perder e algo que me aflige capaz de mexer com o meu sistema nervoso e inclusive deixar os meus cabelos em pé. Crianças pequenas e tecnologia. 

Já não é a primeira vez que vou a algum sítio, a um café ou a uma esplanada ou até mesmo a um restaurante e vejo crianças bem pequenas a ver vídeos enquanto que os pais estão reunidos com um grupo de amigos. Houve até um episódio em que uma criança estava a fazer uma birra muito normal para a sua idade e o pai mete um vídeo do panda no YouTube e automaticamente a criança cala-se, como por magia. 

Caros pais, isto é tudo muito bonito e serve muito bem para "acalmar", "distrair" ou "entreter" os vossos bebés mas será saudável para eles? Nem ponho em causa os futuros problemas de visão, isso é o mal menor, mas estou a falar em termos cognitivos. As crianças estão num período de crescimento e desenvolvimento, as birras, os choros, a teimosia, fazem parte do seu comportamento que precisa de ser moldado e estimulado por parte dos pais. Teremos que colocar a geração do futuro, adultos do amanhã, ainda bebés colados às telas dos telemóveis e tablets? Na minha opinião, acho que é cedo demais (e eu comecei a utilizar a internet com 6 anos de idade!!), a criança deve ter tempo para crescer, se desenvolver, se relacionar com o meio ambiente e com quem as rodeia afastadas deste mundo, desta realidade, longe das tecnologias. Há tempo para tudo e há prioridades que os pais devem ou pelo menos deveriam ter mais em conta porque no fundo, pelo andar da carruagem, estamos a criar pequenos robots em vez de seres humanos.

Resultado de imagem para criancas e tecnologia

Os bebés necessitam antes de aprender as coisas mais básicas da vida, os afetos, o carinho, a atenção. Necessitam primeiramente de se desenvolverem, ter o seu espaço, aprender a brincar. A tecnologia é das últimas coisas que uma criança, na sua fase de crescimento e desenvolvimento cognitivo necessita. Portanto, queridos papás, se amam as vossas crianças, trabalhem com elas e estimulem a sua parte cognitiva e emocional. A tecnologia pode substituir muita coisa mas ainda não substitui o lado mais humano do nosso ser. E às vezes dizer não, por muito que nos custe, é uma boa forma de ensinar às nossas crianças que as coisas na vida não acontecem sempre da forma que mais queremos que aconteçam. Elas têm de saber distinguir, primeiramente, que há coisas que são delas e outras são dos pais, a tecnologia pertence ao mundo dos pais e não das crianças. 

 

 

(Imagem: Google)

Power Poses - A mensagem que a linguagem corporal transmite

A linguagem é um meio de comunicação com o mundo à nossa volta, muitas vezes associamos ao facto de como interagimos uns com os outros. Mas a linguagem não está somente associada à forma como falamos, ao nosso idioma, às palavras que dizemos ou que saem da nossa boca para fora mas também abrange algo maior, o nosso corpo. 

Numa primeira abordagem, numa primeira impressão, quando conhecemos alguém, notamos a sua aparência, a forma como se comporta e se expressa em relação aos outros. Eis a linguagem corporal. Ela é um elemento fundamental na nossa comunicação é através dela que obtemos as primeiras impressões sobre cada indivíduo. Mas será que damos aos outros as melhores informações sobre nós numa primeira abordagem, assim à primeira vista? 

No post de hoje, trouxe este tema à baila por ser algo que esteja a trabalhar em mim mesma. Devo confessar que a primeira impressão que dou de mim mesma, segundo outras pessoas, é de arrogância, confiante e altruísta. De facto, num primeiro impacto ser "arrogante" não é algo que causa boa impressão ao olhos dos outros muito menos convida as pessoas a se aproximarem. São essas pequenas informações que transmitimos de nós mesmos num primeiro embate mas isso não significa que corresponda ao vosso verdadeiro "eu", o "eu" interior.

Segundo o estudo de Amy Cuddy, professora da Harvard Business School, a forma como nos comportamos tem uma grande influência na nossa autoestima aumentando drasticamente a nossa confiança. Daí as Power Poses, a forma de estar que transmite a quem nos rodeia a nossa atitude mesmo sem dizermos uma palavra. 

Já pararam para pensar que muitas das vezes não conseguimos alcançar algo na vida devido à nossa postura? Eu acredito que a maneira como pensamos, nos comportamos perante n situações do dia a dia transmite ao universo aquilo que queremos receber de volta, a Lei do Retorno. E mudar a nossa postura, nem que seja por meros minutos pode mudar muita coisa ao nosso redor. 

As Power Poses também são muito apreciadas no mercado de trabalho, nas reuniões ou até mesmo nas entrevistas de emprego, todo o corpo tem de interagir conforme o que nós falamos e acreditamos, por vezes não é fácil porque os nervos sempre nos traem mas também não significa que seja impossível. 

Vamos conhecer a diferença entre elas? 

image.jpeg

A diferença entre ambos os lados é a postura. Se quisermos mostrar-nos confiantes, nunca podemos ter uma postura de "acanhados" no sentido em que estamos encolhidos, no nosso canto mas sim uma postura mais descontraída, de "quero, mando e posso". Eis a diferença. Mas não é algo que possamos mudar de um dia para outro visto que se trata de um processo. Recomendo, vivamente, a começarem com uma meta de dois minutos apenas naquela posição altruísta e confiante, depois, quando se sentirem confortáveis, acrescentam mais um minuto à meta inicial é assim sucessivamente, tenho a certeza que tudo na vida vai fluir melhor porque, para além da autoconfiança e da autoestima mais elevadas, vão transmitir uma melhor energia a quem está à sua volta bem como ao universo e a partir daí, tenho a certeza que todos os astros se alinham na vida e tudo flui melhor e com mais leveza. 

Não vos convenci ainda? Então tenho exemplos concretos de pessoas que todo o mundo conhece e tenho a certeza que vos consigo fazer pensar sobre este assunto, no mínimo. 

image.jpeg

Um dos exemplos do poder é a nossa Cookie Lyon (Taraji P. Henson) da série Empire. Quando olhamos à primeira vista para a imagem pensamos "Uau! Que poderosa" obviamente que este pensamento não se trata do diálogo utilizado mas sim da maneira com todo o corpo fala, a linguagem corporal que transmite. 

                                  image.jpeg 

A pose de Wonder Woman da Beyoncé faz dela parecer bem mais confiante e pronta a lutar por tudo o que quer. Não é à toa que ela é a Queen B mas nós, na vida real, também podemos ser assim, confiantes e determinados. 

Há muita controvérsia em torno deste estudo das Power Poses e de tudo o que ela pode transmitir, mas cá entre nós, trata-se simplesmente de mudar a nossa postura perante os obstáculos que atravessam no nosso caminho, respirar fundo, contar até dez e encarar com confiança e determinação, que tudo se ajeita. 

 

 

(Imagens: Pinterest) 

 

 

 

A autora

foto do autor

Translate

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D