Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Conversas e Café

Playlist | Para estudar ao som do violino...

Voltei. Tirei um tempinho do meu dia para passar por cá e trazer-vos uma playlist maravilhosa ao som do violino. Pensei nela no âmbito dos estudos, por ser calma e relaxante, e é mesmo aquela que eu uso para me concentrar nos estudos e trabalhos da faculdade (que não são poucos!!). No entanto, também podem ouvi-la nas múltiplas situações do dia a dia, desde relaxar depois do trabalho ou até mesmo para parar e existir simplesmente. Então nos dias nublados e chuvosos, tenho a certeza que terão aquele momento de serenidade e plenitude que tanto necessitam. 

Eu sou apaixonada pelo o som do violino, inclusive quando era mais pequena, eu toquei mas acabei por desistir por falta de motivação e estagnação total uma vez que a professora do conservatório em que eu frequentava, não me dava a devida atenção e na hora das minhas aulas, deixava-me sozinha a praticar enquanto ia buscar os filhos à escola ou o carro à oficina. Desde modo e com muita pena minha, acabei por desistir. Mas, vou ser sincera, quando ouço o seu soar, aquece de uma forma tal o meu coração e deixo-me levar pelo dedilhar ou até mesmo pelo arco que deslizar sobre as cordas. E ouvir quem sabe tocar, é como se o tempo parasse, algo único e mágica até. 

Desde que conheci o trabalho de Daniel Jang, no YouTube enquanto pesquisava covers de uma música qualquer, fiquei apaixona pelo seu enorme talento que me deu vontade de descobrir um pouco mais do seu trabalho. Até que, encontrei uma playlist sua no Spotify com todas as músicas que já tocou e, deixo-vos, abaixo, as minhas preferidas, aquelas que não passo nem um dia sem as ouvir por simplesmente terem-me tocado de uma forma tal, quase que inexplicável. 

 

Todas as músicas estão disponíveis nesta playlist maravilhosa: 

 

Aproveitem já para a adicionar.

11 anos de diabetes

Deixem-me contar-vos uma história, de uma menina com apenas oito anos, a caminho dos nove, que na semana em que foi considerada a “melhor aluna da semana” mal sabia que essa seria a última semana de uma vida “normal” de criança. Aí, no dia 13 de março de 2010, num sábado, em que o sol brilhava por entre as nuvens que teimavam cobri-lo, o seu mundo desabou. Um trambolhão na sua vida graças a um diagnóstico de uma doença “para toda a vida”, segundo um pediatra rude que lhe deu internamento. Essa menina foi obrigada a crescer na enfermaria onde estava, entre deslocações de ambulância para formações sobre a sua doença, entre o colo dos pais, dos familiares e ainda com as cartas dos amigos da escolinha que tomaram a iniciativa de as escrever. Essa menina, entretanto, continuou a crescer, nunca permitiu que o sorriso do seu rosto se apagasse, foi sempre muito forte e madura na sua luta diária contra a diabetes fazendo de tudo para a controlar e para ter, no mínimo, uma vida plena e o mais normal possível apesar das circunstâncias.

Hoje, faz 11 anos em que lida diariamente com a Diabetes, 11 anos de luta quotidiana, feita de conquistas, umas tantas frustrações mas acima de tudo muita dedicação, foco e esforço. E 11 anos depois essa menina, mais propriamente, EU, não perdeu o sorriso pois é a sorrir que tudo fica mais leve e mais fácil de se suportar.

 

 

 

[ Texto da minha autoria também publicado no meu Facebook pessoal e no Instagram! ]

Como sobreviver ás aulas online?

Aulas online. Um sacrifício gigante. Não é das melhores coisas para se aprender, é só um desenrasque face ás circunstâncias em que se vive. Para mim, é algo em que é muito fácil de se desconcentrar. E depois, acabo todas as aulas a pensar "mas o que é que falamos hoje?". Até verificar os meus apontamentos, sinto - me perdida no que foi dado. Para além de tudo isso, contribui para o sedentarismo e digo isto porque inexplicavelmente, os horários são péssimos, falo por mim. Detesto-os!

Mas hoje, vim dar-vos algumas dicas que vos podem ajudar a sobreviver a este martírio enquanto se espera por tempos melhores e mais felizes. E estas dicas podem ser facilmente adequadas para o vosso ano de escolaridade independentemente se estão no ensino básico, secundário ou superior. Não importa se estão no 5ºano, no 12ºano ou na universidade, estas dicas podem mesmo ajudar-vos para garantir o sucesso académico à distância. 

 

Escolher um ambiente tranquilo 

Procurem um sítio para ter aulas online que seja calmo, sem interferência de barulhos ou distrações, longe da família que vive convosco sobretudo. Para além de tranquilo, escolham também um sítio bem iluminado preferencialmente com luz natural para aumentar, não só, a produtividade e otimismo mas também a energia, tudo aquilo que necessitamos particularmente de manhã cedinho. 

 

Escolher apenas o material essencial à aula

De modo a evitar desatenção, é importante manter somente o material necessário à aula. Assim material de escrita, caderno/bloco de apontamentos, computador (com o separador do zoom - ou de qualquer outra plataforma -, sempre a preencher a tela principal) e pouco mais que isso. Tudo o que seja tecnologia que estejam a mais, como telemóveis, tablets, etc. e que seja alvo de distração mantenham-nas longe. 

 

Incluir uma garrafa de água e alguns snacks por perto 

De forma a manter o corpo sempre hidratado e também para refrescar as ideias, ter sempre uma garrafa de água ao pé de vocês é o ideal para que, durante as aulas online, quando necessário, possam dar um gole para oxigenar as células do cérebro, a ajudar-vos a manter mais produtivos e claro, sempre hidratados. Já quanto aos snacks, não é para comer durante as aulas em vez de estar atentos à matéria, é para aqueles momentos em que os professores se estendem nas horas e terminam a sua sessão de Zoom, por exemplo, na hora da próxima aula, é muito útil para qualquer estudante pois nem necessitam de perder tempo em ir à cozinha buscar qualquer coisa para comer enquanto o professor da aula seguinte já adiantou a matéria. 

 

Gravar aulas 

Talvez dos temas mais controversos das minhas dicas. Se souberem o que estão a fazer não haverá problemas. Este método é interessante não para quem decide ligar a plataforma e voltar para a cama dormir mais um bocado ou estar mais ocupado a jogar LOL e outras coisas. Este método é interessante e realmente produtivo para aqueles alunos que gostam de aprender, de estar atentos e que não querem perder nenhum apontamento. Nas aulas por vezes torna-se difícil acompanhar o raciocínio dos professores e apontar tudo o que eles dizem, e que é do nosso interesse, sobretudo no ensino superior, na vida universitária. Daí o truque é gravar a aula em questão e apontar nas margens da folha os minutos em que não conseguiram apanhar de tal maneira que depois possam rever os mesmos. Há imensos programas que gravam a tela ou até mesmo o áudio. Ou então utilizem a  "gravação de voz" do vosso telemóvel para registar o áudio das vossas aulas. Mas antes, experimentem o programa ou até mesmo o gravador do vosso telemóvel, num vídeo no YouTube para ver se efetivamente resulta. E no final das aulas, vão recuperar somente esses momentos, aquelas que anotaram anteriormente, e acabar de anotar as ideias que estão em falta.  

 

Tirar apontamentos 

Para além de gravar as aulas, é ainda mais importante tirar os apontamentos das mesmas. É fundamental para se orientarem no estudo. Têm que aprender a filtrar tudo o que foi dito na aula entre o essencial e acessório ao mesmo tempo que tirem as vossas notas durante as aulas e não somente ficar à espera dos apontamentos de um colega. Se quiserem podem sempre pedir para comparar e ver se podem acrescentar mais alguma coisa aos vossos mas, se utilizarem a dica anterior, não terão esse problema de pedir apontamentos a ninguém. 

 

Carregadores e extensões sempre por perto

Não há nenhum computador que sobreviva estar ligado de manhã à noite sem carregar pelo menos uma vez. Especial com as plataformas utilizadas para ensino à distância como é o caso do Zoom, que consomem tanto, torna-se impossível. Por esse motivo é sempre importante possuir um carregador por perto pois quando o computador pedir carga, é só introduzir o mesmo na entrada e assim não correm o risco de sair da chamada por este se desligar sem carga. Caso estejam longe das tomadas, pensem em ter uma extensão sempre ligada à tomada e por sua vez ligada ao carregador para que tais incidentes não aconteçam. E devo confessar que esta dica já me salvou umas quantas vezes. 

 

Estas foram as dicas principais para arrasarem no ensino remoto.  

Espero que tenha sido úteis para vocês. 

✩ Bons estudos! ✩

 

Inspo Decor | Escritório em Casa

Nestes tempos conturbados onde o teletrabalho tem tido um forte impacto na vida, é bom repensar no espaço que temos e fazer umas pequenas alterações, quiçá, onde estamos a trabalhar. Por vezes, uma mudança de sítio de um móvel ou até mesmo uma melhor organização do nosso espaço de trabalho, pode ajudar a ter uma outra disposição para mais um dia exaustivo de reuniões, mesmo que seja online. 

Por isso deixo aqui algumas inspirações, de como tornar o vosso escritório/sítio de trabalho, não só mais bonito mas também mais organizado, para vos ajudar a ter uma maior produtividade e desempenho no vosso trabalho mesmo que remotamente. 

Dicas extras: 

  • Sempre que possível, prefiram a luz natural. Deixem-na entrar pois esta tem benefícios na nossa saúde e bem estar. Assim, ambientes com luz natural não só aumentam a produtividade como também deixa-nos mais otimistas e com mais energia. Tudo o que precisamos dadas as circunstâncias.

 

  • Prefira manter na sua mesa de trabalho o essencial. Excesso de objetos bem como equipamentos eletrónicos desnecessários, podem ser alvo de fácil distração. 

 

  • Tente manter a organização. Este tópico vai ter ao encontro do anterior. Para além de não levar a distrações e improdutividade indesejável, optar por ter uma mesa de trabalho o mais organizado possível vai facilitar imenso na hora de querer encontrar um documento. 

 

E assim chegou ao fim de mais um post. Espero que vos tenha inspirado e que estas dicas extras tenha ajudado-vos. 

Para todos aqueles que estão neste ambiente de teletrabalho ou de aulas à distância, continuem fortes, que em breve, vamos voltar em força àquela tão desejada normalidade. 

Mantenham-se seguros e cuidem-se sempre. 

3 anos de (muitas) Conversas e Café

Criei um blog há três anos. Sem expectativas, muitos sonhos e temas para falar. Com muita vontade de expressar-me ao mundo através da minha escrita a minha essência, a minha verdade e os meus gostos. Não tinha grandes esperanças que este fosse lido, para mim, duas ou três visualizações, já me era mais que o suficiente. No entanto, 3 anos depois estou aqui. Sou péssima com datas, tanto que nos anos anteriores ela passou em claro mas este ano não. 

Este ano quero agradecer-vos pelo carinho, pelo tempinho que tiram para o ler e trago a promessa que assumirei este desafio até ao fim, desafio de trazer-vos conteúdo apesar de todos os compromissos profissionais e até mesmo apesar de estes não surgirem com tanta afluência que gostaria por circunstâncias da vida, quiçá. 

Quero agradecer, sobretudo, aos meus leitores que contribuíram para que desse continuidade a este meu projeto que tanto me entusiasma, que tanto faz crescer e expandir horizontes. Obrigada pelo carinho, apoio e por cada comentário, o vosso feedback é tão importante para mim, não digo isto em termos estatísticos e de popularidade, pois para mim o número de visualizações, independentemente que tenha dois dígitos ou quatro, são apenas números, são apenas meras estatísticas. Digo sim, pela interação. Pela "relação" que estabeleço convosco, contacto esse que esta plataforma digital nos permite e que eu tanto adoro.

Um obrigada não chega para vocês que continuam comigo ou até mesmo que caíram de para quedas por aqui e que decidiram permanecer, vocês que não são só de Portugal mas que estão espalhados por este mundo fora, o mais sincero OBRIGADA. 

Foram três anos formidáveis pelo qual não me canso de agradecer. Espero que venham muitos mais anos, que possa contar convosco.

Por agora, o mais importante que tudo isto, é manterem-se em segurança e com saúde.

Cuidem-se!! 

♡ 

Lupin - A Opinião

Com o confinamento, uma pessoa consome Netflix mais do que nunca. Esta série eu vi na semana passada, em menos de dois dias, para ser mais precisa, enquanto aguardava em isolamento para fazer o segundo teste à Covid - 19 após o voo de volta à ilha. 

Ao contrário de muitas outras séries, não tinha muita expectativa sobre esta tanto que vi o trailer e não me despertava qualquer interesse. No entanto, os meus amigos começaram todos a falar dessa série nos grupos de whatsapp e tantos outros já haveriam aconselhado. Mas, quando compararam esta série à La Casa de Papel, alto e para o baile! Tinha que confirmar com os meus próprios olhos se esta merecia esse mérito de tal comparação. Quem me segue a algum tempo sabe que La Casa de Papel é uma das minhas séries preferidas de todos os tempos por tanto quando qualquer outra é comparada a esta, é sinal que também é igualmente boa. Será mesmo?

Sinopse:

"Baseada nos romances policiais de Maurice Leblanc, Lupin acompanha Assane Diop (Omar Sy), um homem que, 25 anos atrás, viu sua vida virar de cabeça para baixo com a morte de seu pai, então acusado injustamente de um crime. Agora, ele está em busca de vingança e, para isso, se inspira em Arsène Lupin, o famoso "ladrão de casaca" da literatura francesa. Conhecido como "Robin Hood da Belle Époque", Lupin se tornou um gênio do crime na Paris do início do século 20 - e Diop vai seguir seus passos nos dias de hoje." *

Opinião: 

Fiquei surpreendida com esta série, pela positiva, mas ao mesmo tempo intrigada com o final. Adorei a história e todas as estratégias que Assane Diop utiliza para cometer o crime. É de uma inteligência tal que uma pessoa pensa como é possível. Fiquei presa à série desde o primeiro episódio, que a meu ver está muito bem conseguida. Aquele final, sem querer ser desmancha prazeres e dar muito spoiler, intrigou-me, porquê!? Eu tenho uma outra perspetiva sobre o Assane, a meu ver ele não é o mau da fita. Mas vou calar-me. Se recomendo? Obviamente que sim! Se se compara à La Casa de Papel? Eu acho que é igualmente bom ou melhor até, ainda não me decidi. 

 

(*Sinopse retirada do site AdoroCinema)

(Imagem: Google)

Shackets - o novo it das fashionistas

Hoje vim falar de uma tendência que também estou apaixonada e desejosa de comprar a minha, mas entretanto, veio o confinamento e com ele outras prioridades. Poderia ter um nome mais simpático, pois sinto que não faz jus à peça em questão - Shacket, onde já se viu coisa semelhante?! Poder, até podia mas não era a mesma coisa! 

As Shackets são aquelas jaquetas mas com um aspeto de camisa (?) não sei se me dou a entender. Elas são aquela peça que faz a diferença entre um look casual e o chique, dando, deste modo, aquele up que precisamos, o toque final no outfit, perfeito naquele momento em que sentimos a falta de algo ali. Aquele je ne sais quoi. Para além de ser muito fácil de conjugar e existir em diferente cores ou padrões, para todos os gostos. 

Trouxe algumas fotos para vos inspirar ou até mesmo convencer a adquirir uma peça destas no guarda roupa. Inspirem - se nas diversas combinações que se pode fazer com eles. 

Estou apaixonada por esta tendência.

E vocês o que acham? Usariam? 

 

(Imagens: Pinterest)

A Saudade...

Guardo em mim a saudade... Aquele sentimento que não se explica, nem se traduz. Algo tão nosso, tão português que nasceu com o fado, e que se sente. Aquele desaconchego que inquieta até mesmo a alma mais serena. Há quem diga que a saudade é algo que causa a dor ou o desconforto, uma autêntica agitação na consciência.

A saudade muitas vezes utilizada para melhor descrever as memórias de um passado longínquo que não volta mais, aquele momento nostálgico em que sentimos um aperto no coração e até mesmo um brilho subtil no olhar. 

E é na saudade que vivemos, nos momentos de maior incerteza sobre o presente e até mesmo o futuro, são nas memórias o seu maior refúgio e o coração palpita a sua forma de expressar. E é neste sentimento que, mais nenhuma outra palavra sabe explicar, sonhamos e acreditamos. É na saudade onde fica guardado, bem arrumadinho, como se de uma gaveta se trata-se, tudo o que de melhor temos, os momentos, as memórias, as recordações. E quando aberta, experienciamos nostalgicamente o que foi, o que aconteceu. 

É nessa saudade, tão nobre e tão nossa, que vivemos o quotidiano, com esperança de um dia voltar a ser tudo como fora outrora. 

Sobre ela, pouco se sabe, pouco se explica mas sei que a sinto. A saudade de uma vida melhor, de uma liberdade desmedida, de momentos felizes ao lado de quem me faz sentir viva com abraços e mimos sem fim. É esta a minha saudade.

Qual é a vossa?

Fate: Tha Winx Saga - A Opinião

Estou em isolamento após ter chegado dia 25, segunda - feira, à Madeira. Sem data de regresso e com um segundo teste para realizar, uma pessoa enjaulada entre as quatro paredes, não tem feito muito senão consumir, e muito, Netflix

Hoje venho falar-vos de uma das séries que vi em quatro dias. Já tinha começado a vê-la quando estava do outro lado do Oceano Atlântico, mas acabei aqui, já confinada. Devo confessar que estava com as expectativas bem altas quando a comecei a ver. 

Sinopse:

"Fate: A Saga Winx é uma série live-action baseada na popular série animada Clube das Winx. A série gira em torno de seis fadas populares que devem aprender a controlar seus poderes mágicos frequentando uma escola em um mundo fantástico. Alfea é uma escola situada no Outromundo que tem por objetivo formar as fadas e instruí-las na arte da magia que já existe há milhares de anos. Apesar disso, nenhuma fada que esteve em Alfea se parece com Bloom (Abigail Cowen), que foi criada no mundo humano. Bloom é uma fada impulsiva, gentil e perigosa para aqueles ao seu redor. Por dentro, Bloom possui um poder com a capacidade de acabar ou salvar os mundos que fazem parte dela. Para se sobressair, Bloom precisa manter o controle de suas emoções. Sendo apenas um adolescente, as coisas podem ficar complicadas. Jovens fadas estarão à beira de emoções, amor, rivalidades e inimigos que ameaçam suas vidas." *
 

Opinião:

Como já referi tinha as expectativas muito altas para esta série desde o dia em que a Netflix revelou o trailer. Até, na altura, houve quem criticasse o facto de terem pegado no desenho animado e feito um live action, outras críticas também recaíam sobre a mudança de nome das personagens e tudo mais. Só aguardei, ansiosamente e expectante, para ver o que sairia dali. E uau! Se me permitissem descrever esta série em uma palavra seria INTENSA. Primeiramente deixa-nos curiosos, depois com muita magia e fantasia pelo meio, complementada de ação, desperta aquela súbita vontade de querer ver o que vai acontecer depois mesmo que nos possa a vir a assustar um pouco. Depois, lembrem-se das críticas? Esta série é muito mais que uma live action, é, pois, baseada nos desenhos animados que, se por um lado, desperta uma certa nostalgia ao relembrar da nossa infância, por outro, é muito mais do que isso e não tem nada haver. Esta série, apesar da fantasia que a envolve, torna-se muito cativante e atual tendo ela um elenco muito jovem que alerta para certos comportamentos da adolescência dos nossos dias abordando temas como álcool, drogas, relacionamentos, bullying, complexos com o corpo, etc. E achei muitíssimo importante esta série incluir todos esses temas que são muito debatidos no quotidiano dos adolescentes. Numa outra perspectiva, além disso, considero-a intensa pela história em si e nas proporções que ela vai tomando no desenrolar da ação (não vou dar spoiler para quem ainda não viu mas o coração vai palpitar). Já para nem falar da caracterização das personagens, desde a roupa, os acessórios, a própria maquilhagem, e quando falo da maquilhagem não é só aquela que se vê na cara mas também como caracterização dos golpes, das feridas, tudo isso de um trabalho extraordinário e de louvar. E um outro elemento a destacar é a edição. Que incrível!

Na minha opinião, para quem ainda não viu, ou viu e depois acabou por desistir nos primeiros episódios, ou para quem está a considerar ver, acho que devem de dar uma oportunidade. Nos dois primeiros episódios podem achar um pouco sem interesse mas garanto-vos que é uma série que prende imenso e surpreende pela positiva. Por isso deem lá uma oportunidade e garanto-vos que não se vão arrepender. Nota que tem conteúdo gráfico principalmente sobre feridas e pessoas mortas em que são captadas com o máximo detalhe por isso ser uma série classificada pela própria Netflix para +16 e só alertei para o público mais sensível. 

Eu rendi-me e só espero uma segunda temporada, que ainda não foi confirmada pela Netflix, para resolver alguns mistérios que foram deixados no ar nesta primeira temporada. 

Recomendo imenso!

 

(* Sinopse retirada do site AdoroCinema)

(Imagem: Google)

PUMATRAC - a nova app de fitness

Com a chegada desta segundo confinamento, não há desculpas para deixar os treinos mesmo que sejam em casa. E hoje, vim partilhar convosco a minha mais recente descoberta de uma app para treinar em casa. É a PUMATRAC. Tal como a Nike e a Adidas, a Puma também lançou uma app para treinos em casa em que juntou várias pessoas do mundo do fit para elaborar treinos que compõe os diferentes níveis, adequados para a condição física de cada um, desde treinos para iniciantes, intermédios e avançados, vocês conseguem escolher, o grau de exigência e a área específica que querem trabalhar. 

Já partilhei na outra quarentena que estava a utilizar a Nike Training Club, que continua no top de aplicações de fitness que eu gosto para me exercitar em casa, no entanto, comecei a ficar "cansada" com a monotonia dos exercícios de cada treino, achando repetitivo até. E foi aí que decidi experimentar esta e confesso que fiquei muito surpreendida. Outro ponto a favor desta app é que vocês não necessitam de descarregá-la obrigatoriamente, isto é, podem fazer exercício através do site precisando, sim, apenas de criar uma conta onde deve ser inserido os dados necessários para adequar os treinos e app recomenda alguns treinos para vocês mas isso não significa estar limitados aos mesmos. Alias, a app/site permite escolher entre treinos mais curtos, treinos de alta intensidade (HIIT), treinos de força e muitos outros e podem ainda, adicionar treinos aos favoritos para o voltar a fazer um dia mais tarde. 

Resultados: São treinos que, na minha opinião, e de todos os que já fiz, quando vocês acabem sentem-se bem e cheios de energia, cansados e transpirados mas sem dor, como se não tivessem trabalhado demasiado aquela área, no entanto, essas dores só chegam no dia seguinte. 

Recomendo-a sinceramente, os exercícios são diferentes e têm muitas opções de treinos para escolher. 

Vocês já a conheciam?

 

(Imagem: Google)

A autora

foto do autor

Translate

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub