Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Conversas e Café

#BackToSchool | Dicas de sobrevivência ao 1º ano de faculdade

Se és um futuro estudante universitário, este post é para ti. Hoje trago umas dicas incríveis para regressares à faculdade com nota máxima ou pelo menos tentares sobreviver a uma nova etapa do teu percurso académico. Ir para a faculdade é permitires-te embarcar numa nova aventura, sem dúvida. Adaptares-te a um novo ambiente, a novas pessoas e, sobretudo, se vais mudar-te para longe da tua família é um choque de realidade com a vida adulta. Mas não te assustes pois os melhores anos da tua vida começam agora! 

E para não te perderes e aproveitares ao máximo, deixo-te aqui algumas dicas transversais a todas as faculdades, muitas delas (senão a grande maioria!!) são dicas de uma estudante universitária com duas matrículas, ou seja, eu! 

Alojamento

Muito essencial. Sobretudo para quem mora longe. E olha que é difícil, sobretudo este ano em que volta tudo regime presencial, encontrares um cantinho para ti por isso aconselho-te a te deslocares para o local onde vais estudar assim que a tua candidatura for aceite e começares já a procurar casas/quartos/estúdios. Há sempre factores de peso a considerar: o ambiente, se vais partilhar o teu cantinho com alguém ou não, se te sentes confortável lá, a localização, desde a distância para a faculdade, os transportes, se tens farmácias e/ou supermercados perto de ti, etc. E claro, factor mais importante: a relação entre condições que te são disponibilizadas e o preço que vais pagar. Por isso convém andar de olho e não ficar logo pelo primeiro que vos aparecer à frente. 

A minha experiência: comecei por ver alojamentos na zona de Coimbra pela internet, a minha prima/madrinha de crisma, como já tinha estudado lá também ia mandando links dos sítios que ficavam mais perto da minha faculdade, o que me ajudou imenso. Quando tive a confirmação da minha candidatura, revi as condições dos alojamentos que mais tinha gostado, tendo sempre em conta os factores que referi anteriormente, e contactei os proprietários a perguntar se tinha vaga. Acabei por ficar com o primeiro que vi porque gostei de tudo, apesar de ser um pouco caro, reconheço, tinha todas as condições que precisava. E mesmo morando sozinha, não estou sozinha! 

 

Cartão de Multibanco Universitários 

Aquando da tua matrícula presencial vão dar-te a oportunidade de fazeres um cartão de multibanco com condições especiais para os universitários, pelo menos a UC tem essa parceria com a Santander. Honestamente, a meu ver, compensa vocês fazerem. Têm descontos no Uber e em tudo o que esteja relacionado com o mundo académico. E vocês vão ficar gratos por contar-vos isto porque a mim ninguém me contou. Com este cartão, vocês conseguem ter descontos incríveis ao comprar o traje. Sim, verdade! Poupei mais de 100€ só porque tinha aderido a este cartão. Portanto, pensem lá! 

 

Praxes 

Este tema é o que gera mais controvérsia e coloca todos com opiniões diferentes. Na verdade, a praxe tem toda uma conotação negativa associada porque simplesmente há pessoas e pessoas, códigos de praxes diferentes, visões diferentes sobre do que se trata. É mito quando dizem que quem não vai à praxe não fica bem ambientado mas também é certo que quem vai à praxe tem mais oportunidades de confraternização com o restante curso seja "caloiros" ou veteranos. 

A minha experiência: sempre fui um pouco contra praxes por ter uma noção errada do que era aquilo. Mas fui para experimentar pois sabia que era também ano de covid e que iria ficar muito tempo em casa a olhar para as paredes sem nada para fazer. Tenho que dizer que fiz muito bem e que adorei aquilo. Aprendes não só a te enquadrares num ambiente académico como também a ter respeito pelos outros como também a ser respeitado. Já para nem falar que todas as atividades têm sempre um objetivo, que não é humilhar ninguém mas sim aprender algo novo não só tradições académicas mas também cultura, civismo e entreajuda. Se estão indecisos, experimentem ir só à primeira e depois decidam por vocês se vale a pena ou não. 

 

Planta da Faculdade 

Geralmente as faculdades disponibilizam na internet a sua planta. Aconselho a ter sempre no telemóvel de modo a não te perderes na mesma. Vai ajudar-te para saberes em que andar tens a aula e quais são os wc's mais perto de ti. Eu juro que ajudou-me imenso, sobretudo quando, num ano de covid, ias poucas vezes à faculdade e era muito fácil se perder. 

 

O essencial do dicionário académico

Para não ficares com cara de tacho quando algum docente te falar ou perguntar alguma coisa, aqui estão algumas palavras que te podem ajudar. 

Primeiramente, no ensino superior já não se fala em disciplinas mas sim em Unidades Curriculares ou, simplesmente, Cadeiras.

De seguida os ECTS, muito resumidamente corresponde ao número de créditos, que de acordo com o sistema europeu de qualquer universidade na Europa, cada unidade curricular oferece. Os ECTS podem variar de unidade curricular para unidade curricular e é o somatório de ECTS que vai premitir o teu grau de ensino (Licenciatura, Mestrado, Doutoramento), ou seja, para X curso necessitas de X ECTS obrigatórios. Dado que um ano de formação corresponde a 60 ECTS, um semestre a 30 e um trimestre a 20. E para passares para o nível seguinte de formação tens de cumprir os ECTS mínimos exigidos.

No ensino superior, os teus professores são doutores. Muitos deles nem ligam à forma de tratamento, desde que seja sempre com muito respeito e educação. 

O ensino superior é dividido por ciclos. Muito provavelmente vais ficar com dúvidas quanto inicias as tuas aulas pois quando sai o calendário escolar, muitas vezes aparece por ciclos algumas alíneas. Assim sendo, o 1º ciclo corresponde à Licenciatura; o 2º ao Mestrado e o 3º ciclo ao Doutoramento

O Tutor é um professor da tua faculdade que será atribuido a ti de forma aleatória de modo a que possas recorrer-lhe durante todo o teu percurso académico. Assim, podes contactar-lhe sempre que estiveres em dúvida desde a construção do CV ou para te guiar no teu percurso académico. Podes sempre trocar de tutor depois de ser atribuido. 

As Propinas são as mensalidades que pagas para estudar na tua faculdade e o seu valor pode variar de curso para curso.

As unidades curriculares podem ser avaliada por exames ou frequências. Se for por exame, significa que no fim do semestre, dentro dessa época, vais ou não passar nessa unidade curricular por um único exame. Pudendo depois ir ou não a recurso para melhorar ou tentar passar à cadeira em questão. Caso seja por frequência, tens dois momentos de avaliação durante esse semestre, em que a média de ambos e a participação nas aulas, vão garantir a nota final dessa cadeira. Se falhares a uma frequência ou tiveres negativa na média final, podes sempre recorrer à época de recurso para não deixares a cadeira para trás.

 

Bolsas de Estudo

Tens direito a concorrer às bolsas de estudo. Sejam elas da DGES (Direção Geral do Ensino Superior), da Câmara Municipal da tua zona de residência e se fores das ilhas, podes sempre concorrer às bolsas Regionais. Mas há diferentes bolsas que podes concorrer, seja até de instituições sem fins lucrativos, ou instituições bancárias ou até mesmo as de mérito, esta última engloba outros fatores como o aproveitamento escolar e a classificação obtida no ano anterior. Necessitas apenas de pesquisar os documentos necessários, anexar e entregar dentro dos prazos estabelecidos. 

 

Vida Académica 

É muito importante investires na tua formação, obviamente. Mas também é necessário entrares no mundo académico e socializares com as pessoas. É possível tirar boas notas e ter uma vida académica socialmente ativa, é tudo uma questão de organização. Criar laços com o teu ano de curso e com os mais velhos é essencial. Na faculdade vais acabar por conhecer pessoas de todos os sítios, independentemente se são do teu curso ou não. Mas são pessoas que podes mesmo levar para o resto da tua vida. Não te isoles aos livros e aos resumes apenas. 

 

Obras e bibliografias 

Na faculdade não há manuais. Mas no início do ano os professores colocam nas plataformas universitárias as obras e bibliografias recomendadas à leitura para aquela unidade curricular. A questão é que a lista de obras e bibliografias, para além de extensa e indeterminável, não é de todo em conta para a carteira de um estudante universitário. Por isso, não necessitam de comprar. A não ser que seja altamente recomendada. Mas há muitas obras que darão no contexto de sala de aula que estão disponíveis numa versão online ou então, nas bibliotecas das vossas faculdades para consulta. 

 

Aulas Sobrepostas 

Provavelmente, todos os anos vão sofrer do mesmo mal: aulas sobrepostas. É impossível de estar em dois sítios ao mesmo tempo. Daí terem que arranjar estratégias, falar com os docentes em questão, explicar a situação, pedir apontamentos aos colegas e tudo mais. Caso não consigam, em último caso, mais vale trocar de unidades curriculares. 

 

Apontamentos 

Nesse aspeto sou muito old school. Não consigo tirar apontamentos no computador, faz-me impressão e acabo sempre por me perder. Nada melhor que tirar os meus apontamentos com lápis e papel. Por isso levo sempre o meu caderno (um para todas as cadeiras) e começo a anotar tudo o que preciso. Selecionar o essencial do acessório também é algo importante que, com o tempo, vão conseguir fazer. No fim, se não percebi alguma parte, peço os apontamentos aos meus colegas e ao trocar isso, acrescentamos informação uns aos outros. Também ter apontamentos de alunos antigos, dos anos anteriores, também é algo que podem pedir e o pessoal disponibiliza sem qualquer problema. 

 

Google Calender 

Falei em organização? Este calendário ajudou-me imenso. Tanto para manter a matéria em dia como para me ajudar na organização de estudo para os exames. 

 

Plataforma Digitais

Toda a informação da tua faculdade, desde material de apoio ao estudo enviado pelos professores, como as pautas dos exames, até mesmo o sumário das aulas, encontra-se tudo na plataforma oficial da tua universidade. Para comunicação entre docente-estudante, dá uso ao teu e-mail. Desde que estejas na faculdade, o Instagram e o Tik Tok vão dar lugar ao e-mail e à plataforma oficial da tua faculdade. E acreditem, vão ser as páginas que vocês mais vão atualizar todos os os dias no tempo letivo. 

 

Por fim, só quero desejar-vos um bom regresso às aulas e de recordar um ensinamento estudantil que eu aprendi com os mais velhos e que é mesmo verdade: O CURSO FAZ-SE NO RECURSO!

Saudações académicas.

Playlist | Algumas novas obsessões...

Vamos falar de música? Há quanto tempo que não trago este tema por aqui para vocês? A minha playlist tem sido atualizada com muita frequência, ultimamente. No entanto, reconheço que há sempre aquela música que fica sempre no ouvido e que apetece ouvir uma e outra vez. 

Spoiler Alert: Nesta playlist vão encontrar um pouco de tudo, desde Reggaeton a música portuguesa. Para todos os gostos e com uma diversidade muito variada quanto a géneros músicais. 

Cliquem no play e aumentem lá o som!

 

E estas são as minhas novas obsessões.

Espero que tenham gostado. 

#BackToSchool | Essenciais maquilhagem

O regresso às aulas... para muitos já começou, para outros, ainda está para breve. Por isso mesmo vim falar-vos dos essenciais de maquilhagem para uma pele mais teen para o teu regresso em grande e em beleza seja para a escola ou para a universidade. 

Toma as tuas notas porque estes essenciais, combinados com uma boa rotina de cuidados de rosto, serão a tua arma secreta para tirares nota 20 no que consta a beleza e rendimento de tempo. Se ainda não sabes muito bem como construir a tua rotina de skincare, clica aqui para descobrires! 

Fluído de Cor - Quando falo em fluído de cor, estou a pensar numa alternativa à base. Algo como um BB Cream, um Skin Tint, um protetor solar com cor ou até mesmo uma base de cobertura mais leve. Isto para manter uma cor mais uniforme, esconder algumas imperfeições mas sempre com aquele toque de "segunda pele", o mais natural possível. DICA: não esquecer de aplicar até ao pescoço. 

 

Corretor - Para cobrir as olheiras maravilhosas matinais, algumas imperfeições como marcas de acne ou pequenas manchas e iluminar o rosto. O segredo para não errar e dar aquela iluminada no rosto, sobretudo naquelas áreas centrais, é escolher sempre um tom ou dois mais claros que a nossa base/pele. 

O meu preferido de todos os tempos: Camouflage + Matt Concealer da Essence 

 

Pó Translucido - Um pó que fixe toda a maquilhagem, mesmo a mais leve é sempre essencial, sobretudo para quem tem a pele mais oleosa. No entanto, não invalida que os restantes tipos de pele sejam "imunes" a este produto. Estes produtos podem encontrar como pó solto ou de forma mais compacta. DICA: recomendo a quem tem a pele mais oleosa, aplique-o de forma mais concentrada nas zonas que são mais oleosas e depois uma camada mais fina pelo resto do rosto, incluíndo o pescoço. Para os restantes tipos de pele, basta aplicar uma camada muita fina por todo o rosto, só para garantir que está TUDO fixo durante todo o dia de aulas. Se for preciso retocar, então que seja! 

Os meus preferidos: Loose Baking Powder da Revolution Beauty London ou All about matt! Fixing compact powder da Essence 

 

Mascara de Pestanas - O essencial dos essenciais, a meu ver. Dá logo o efeito instantâneo de olhar acordado. DICA: para curvatura das pestanas passem antes um curvex (comprei o meu na H&M), não tenham medo deste instrumento!

A minha favorita: Lash Princess Sculpted Volume Mascara da Essence 

 

Blush - Para dar aquele ar de saúde, o blush é aquele produto que não pode faltar NUNCA no vosso dia a dia. E há tantos tons por onde escolher, uns mais rosados, uns mais laranja, uns mais castanhos, para todos os gostos. 

 

Batons - Para o dia a dia, com o uso de máscara inclusive, é importante ter os lábios hidratados. Aqui, vai depender muito de vocês. Vou confessar que eu uso sempre batom mesmo que os meus lábios estejam tapados (vaidades!!). Opto sempre por um batom líquido com um acabamento matte e/ou de longa duração para não correr riscos de parecer um palhaço quando tirar a máscara para ingerir água ou alimentos nem esborratar muito as máscaras. Mas também acho interessante os Lip Oil, que são basicamente um gloss com hidratação e cor, ou então um Lip Tint, ou mesmo um hidratante de cor. Há para todos os gostos!

 

E pronto, eis o que considerei essencial para este regresso às aulas com nota máxima. 

Espero que tenham gostado das dicas inclusive. 

Bom regresso! 

 

(Imagem: Pinterest) 

Por que ficamos tristes de perder pessoas que nos magoaram?

Li esta pequena questão numa publicação no Instagram. Nesse momento perdi-me logo a refletir sobre uma eventual resposta, talvez precipitada, diria, mas mesmo assim, senti que esta questão era digna de um tema de reflexão. Desse modo, decidi abordá-lo por aqui. Afinal "Por que ficamos tristes de perder pessoas que nos magoaram?". 

Primeiramente, não custa nada relembrar e passo a citar uma outra frase que li nestes últimos dias: 

Nem tudo são perdas. Algumas coisas são livramento.

De facto, se pensarmos bem, com alguma racionalidade, se pretendemos ser felizes, devemos viver com leveza. Relacionarmo-nos com pessoas (independentemente do tipo de relação, seja amizade ou algo mais!) ou situações tóxicas e negativas, em que nada nos acrescenta senão tristeza, mágoa, dor ou qualquer outro tipo de sentimentos negativos, não é viver com essa tal leveza, felicidade ou até mesmo plenitude. Por vezes é necessário libertar-nos disso para pudermos seguir em frente e de cabeça erguida. E não tem mal nenhum em fazê-lo. A isso chama-se crescer e evoluir. Expandir horizontes. 

Depois, e voltando ao cerne da questão, talvez até ficamos assim por colocarmos demasiadas expectativas e acharmos que "desta vez será diferente", no fundo, é essa esperança, essa expectativa que coloca o relacionamento (seja ele qual for) num outro patamar. Daí "gastarmos" o nosso tempo, dedicarmos toda a nossa atenção, depositarmos toda a nossa energia, até mesmo querermos mudar por essa pessoa/situação, mas eu pergunto-me (e a vocês também) "Para quê? Será que deveríamos mudar por elas ou por nós mesmos?" Ah, pois!

O que é certo é que estamos todos de passagem, nada é eterno e cada pessoa tem o seu tempo para permanecer na tua vida, no teu caminho, com o propósito de ensinamento. Cada um deixa em ti uma lição. Mesmo que seja ela pautada pela dor. Mas aí, só depende de ti, a forma como vais encarar e viver com isso. Essa lição pode ser tanto positiva como negativa, isto é, algo que te possa transformar positivamente de modo com que aprendas a te relacionares com outras pessoas futuramente ou então possa servir de exemplo a não seguir. Agora é uma questão de adaptar à vossa realidade e aceitar simplesmente. 

Obviamente que a tristeza e desilusão é algo que se manifestarão naturalmente pois as memórias felizes sempre virão ao de cima mas pensando racionalmente sobre o assunto, não estaremos apenas a "romantizar" tudo como mecanismo de autodefesa de modo a atenuar os momentos que provocaram uma maior dor/mágoa em vós?! Será mesmo que vale a pena continuar a bater na mesma tecla e correr atrás depois de tudo? Ou agradecer à Vida/Universo/Deus (ou naquilo que vocês acreditam) por vos ter livrado dessa situação/pessoa? Já pensaram que foi melhor assim? Nada acontece por acaso. Tudo tem uma razão de ser! E tenho a certeza que o melhor ainda está por vir, a seu tempo. Pois quando o tempo de permanência é ultrapassado, já não é bom para nós e em nada nos acrescenta! 

Pensem nisso! 

E enquanto pensam, quero saber, na vossa opinião, o porquê de ficarmos tristes quando perdemos alguém que tanto nos magoou. Será apego? Ou será porque depositamos muitas expectativas nelas?

Deixo também, abaixo, o post que me fez abordar tal reflexão: 

 

 
 
 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação partilhada por Frases (@respeitei)

Estou vacinada!

Estou bácinada! *ler com "sotaque do norte"* (desculpem mas não resisti fazer esta piada, mas que fique registado que adoro a pronúncia do norte do nosso país!). 

Na verdade já estou (toda) vacinada desde o dia 19 de agosto porém, só hoje é que vi dar feedback da minha experiência um pouquinho traumatizante, com esta minha segunda dose da Pfizer. Se na primeira dose foi super tranquilo, que até fiz um post aqui, esta foi um pouco mais "difícil". 

Não querendo traumatizar as pessoas que ainda estão indecisas sobre ir ou não levar a vacina, e se ainda há pessoas com esse dilema, ainda há tanta dúvida porquê? Porque preferem ouvir os TikToks ou vídeos de movimentos antivacinas em vez dos especialistas, voz da ciência?! Não se acredita tudo o que se lê, atenção!

Mas quanto à segunda dose, digamos que estava tudo tranquilo depois da vacina, até ao dia seguinte. Acordei já com sintomas de gripe e com febre que se prolongou durante todo o dia mas nada que o meu amigo ben-u-ron de 1g de 6h em 6h não resolvesse. Nesse dia, lembro-me do esforço que fiz para ter de sair de casa, já nem me lembrava de como era sentir-me doente. No entanto, quanto a sintomas ficou por aí. Já para nem falar do braço inchado que ainda hoje está um bocadinho. O meu maior medo era mesmo se passava mal a noite, visto que às 2h da manhã seria a hora da próxima toma mas, sinceramente, nem senti necessidade de me intoxicar e dormi que nem um anjinho e acordei fresca que nem uma alface do LIDL. 

Isto para dizer que passei por um bocado mas tenho a certeza que valeu a pena pois tenho a vacinação completa e não poderia estar mais feliz e radiante por ver uma luz ao fundo do túnel. 

Vacinem-se também. Protejam-se, a vocês e aos outros! 

Vestidos de Cetim: Desde as cerimónias ao dia a dia...

Voltei para falar-vos de uma peça que estou estupidamente apaixonada, os vestidos de cetim. Pessoalmente, sou da opinião que é daquelas peças práticas, que toda-a-gente-precisa-de-ter pela sua versatilidade. O resultado do outfit vai depender essencialmente da forma como a conjugamos, desde acessórios a calçado, a forma como "brincamos" com as peças. E a moda é isto o tempo tudo. Ela permite criatividade na forma como "brincamos" e combinamos as peças. E daí nasce algo único. 

Os vestidos de cetim, ao olharmos para ele num só, quando ele está no cabide numa loja ou até mesmo em casa, é algo que nós associamos automaticamente a algo mais propício a festas ou a eventos que exigem um maior cuidado com o dress code. No entanto, as fashionistas demonstraram com muita criatividade que podemos usá-los em diversas ocasiões, inclusive no nosso dia a dia com os nossos ténis preferidos. 

Vamos lá nos inspirar nos seguintes outfits para ver como funciona? 

Tal como já tinha referido, vai tudo depender de como o vamos conjugar para obter diferentes resultados. Assim, com um vestido de cetim que vocês compraram para o casamento da vossa amiga, podem fazer produções diferentes, substituindo o salto por uma sandália rasa ou por uma sapatilha, colocando uma t-shirt por dentro (ou não), colocar uma jaqueta de ganga e substituir a clutch por uma mala maior. Os acessórios como chapéus e cintos podem ser também utilizados. Quanto a lojas, vocês encontrem de imensas cores e imensos modelos diferentes, para todos os gostos tanto em lojas físicas como a Zara, como em lojinhas online. 

 

E vocês? Usariam estes vestidos no vosso dia a dia? 

Espero que tenham gostado! 

 

(Imagens: Pinterest)

Diabetes | O que ninguém conta sobre hipoglicémias?

Vou falar-vos hoje sobre um tema delicado, talvez uma das coisas que dá-me mais medo de acontecer na minha doença, as hipoglicémias. E se não as sinto? Vou parar ao hospital em estado de coma. É um desafio enorme lidar com a diabetes, digo isto mesmo passados onze anos de doença. É uma doença crónica quase inofensiva aos olhos e muitas vezes desvalorizada mas ela existe e exige uma especial atenção, um constante controlo, para que tudo dê certo e com vista num futuro com maior qualidade de vida possível, mesmo que esse futuro obrigue a picadas e tudo mais. E cabe a um diabético, independentemente, do tipo diagnosticado, I ou II, garantir essa qualidade de vida e esse controlo. 

Mas centremos-nos nas hipoglicémias, que é o tema que vim abordar hoje. Estas são as conhecidas, numa linguagem mais simples, por "baixas de açúcar". Constam, simplesmente, quando o açúcar no sangue encontra-se abaixo de 70mg/dl. As pessoas sem esta patologia também podem ter baixas de açúcar isto se passarem muito tempo sem comer, por exemplo. E é muito fácil perceber quando tal acontece pois provoca um mau estar gigante. Começa geralmente com uma mudança de humor repentina, uma pessoa quando começa com uma hipo, geralmente, começa a ficar um pouco alterada (acontece-me às vezes), depois começa a transpirar, a tremer, fica com (muita) fome, um tanto de dor de cabeça, uma fraqueza com a sensação de "leveza" e quanto mais baixos piores são os sintomas, incapacidade de concentração, perturbações na visão, até mesmo convulsões e desmaio que conduz ao coma. 

No entanto, não é só isto que interessa saber sobre as hipoglicémias, há muito mais coisas que necessitamos de saber sobre o assunto e isto foram coisas que fui descobrindo aos poucos com as minhas próprias experiências e outras ditas pelas próprias enfermeiras e a minha endocronologista que me acompanham desde o início desta dura jornada. 

 

Uma hipoglicémia deixa sequelas

Uma hipoglicémia afeta o cérebro. Quando a temos, o cérebro comanda o nosso corpo a produzir adrenalina nos mais diversos órgãos, tal como o fígado, por exemplo. Daí a importância de tratar da hipoglicémia assim que sentimos que algo não está bem connosco. Pois, quanto mais tempo tivermos com uma baixa de açúcar mais o nosso corpo vai precisar de adrenalina e é importante ter em mente que o açúcar é o principal produtor de energia no nosso corpo portanto o défice e o excesso do mesmo no sangue é prejudicial. Independentemente do tempo que estivermos em baixa, seja 15 minutos ou mais, vamos acabar sempre com sequelas que são irreversíveis uma vez que se trata de células "queimadas" no cérebro. Mas é muito diferente o seu grau de sequelas se compararmos um hipo de 15 minutos a uma hipo de 30 minutos, por exemplo. 

 

O cérebro demora entre 24 a 48 horas a recuperar de uma hipoglicémia 

Como já foi dito anteriormente, o cérebro tem um importante papel na produção de adrenalina para ajudar a tratar das hipos. E também já falamos das sequelas. O que acontece é que essas sequelas são sentidas ao longo de um tempo no entanto, aquelas 24 a 48 horas são fundamentais e determinantes para a evolução das sequelas. Neste período de tempo, não é recomendado fazer qualquer tipo de esforço intelectual uma vez que o cérebro ainda está a recuperar do sucedido. Exercícios que exijam de tal forma da mente, bem como a capacidade de processar informação, é bem mais lenta do que habitual. Deste modo, uma coisa que a maior parte das pessoas desconhecem e que é muito desvalorizado sobretudo no mundo académico, é que um estudante que é diabético e teve baixas de açúcar nas 48 a 24 horas antes da prova de avaliação, seja ela exame, teste, frequência ou o que for, não pode, e tem o direito de recusar-se, a fazer a sua realização, uma vez que pode ser prejudicado devido à sua incapacidade de concentração e de processamento de informação, isto tudo segundo os enfermeiros e médicos especializados na área. 

No entanto, isto é tudo muito bonito, mas na realidade, ninguém quer saber. Já realizei, ao longo da minha vida académica, vários testes e exames que exigiam o melhor de mim, no entanto, muitas das vezes ignorei o facto de ter tido uma hipo no dia anterior e a realizei. Se conseguia tirar melhor nota, até podia ter conseguido mas enfim... 

E durante esse período, vais sentir-te a pessoa mais inútil na vida por não conseguires explicar o teu raciocínio de forma clara, vais sentir-te "babada", sem pachorra nem forças para fazer nada senão estar deitada a ver uma boa série ou um filme. É normal, acontece! 

 

Depois da hipoglicémia, a insulina

Leram perfeitamente bem. Após tratar uma hipoglicémia há que saber cobrir os "danos" dos açúcares com a insulina antes que tenhamos surpresas desagradáveis na próxima refeição. Para isso, depois da estabilização dos níveis de açúcar, aplicar duas a três unidades de insulina de modo a reverter a subida exponencial do açúcar no sangue é o ideal. Mas nota que é importante que na próxima dosagem tenhamos em mente da quantidade aplicada após a hipo e descontá-la na próxima refeição/aplicação.

 

As hipoglicémias podem acontecer horas depois da prática de exercício físico

O senso comum tem a tendência a achar que o exercício físico baixa a glicémia logo após a sua prática. Eis uma teoria errada. Na verdade, vai depender de vários factores, desde ao tipo de exercício físico que praticamos (aeróbicos ou anaeróbicos), do esforço e da duração da prática de atividade física. Tudo isto influencia nas alterações da glicémia. Por isso prefiro e sempre procuro conjugar exercícios aeróbicos com exercícios anaeróbicos nas minhas rotinas de treino, isto é, na parte aeróbica, o cardio (passadeira, bicicleta, saltos, etc.), e na parte anaeróbica, musculação. E este método sempre me ajuda a controlar melhor a situação dos açúcares no sangue. 

No entanto, nunca estou livre de uma hipoglicémia cerca de 4 - 6 horas da prática de exercício físico. Muitas vezes tal acontece pois fiz muito esforço num intervalo de tempo muito curto. Quando tal acontece, logo após o treino (que é perto da hora da minha refeição), tenho uma hiperglicémia, isto é, os níveis de açúcar disparam devido às hormonas libertadas também durante o treino tais como a adrenalina e a endorfina, entre outras. Aí tenho que ter especial atenção em reduzir umas duas unidades de insulina do valor previsto que daria numa situação normal para que tal não aconteça. 

Isto para dizer que muitas vezes o processo é inverso e que podemos ter uma queda brusca dos níveis de açúcar do sangue, não logo depois à pratica de exercício físico como passado algum tempo depois. 

 

Já, agora para terminar, gostaria de relembrar os cuidados a ter quando se aproxima de uma hipoglicémia ou quando estamos em hipoglicémia, estas recomendações também são importantes para quem convive com diabéticos e que podem ser muito úteis, uma vez que podem salvar de uma hipo bem como das suas consequências, tal como o coma.

Prestar atenção aos sintomas que descrevi anteriormente (alterações de humor, fadiga, suor, tremer, dor de cabeça, fome, perturbações na visão, sensação de desmaio/fraqueza); 

2º Medição da glicémia: aqui há vários cenários importantes a ter em conta que vão depender do valor. 

  • até 70ml/dl - ingestão de alimentos.

                    Opções: sumo de laranja ou banana ou bolacha MARIA ou ameixa seca.

 

  • de 50 a 70ml/dl - ingestão de 2 pacotes açúcar + lanche 

                    Nota: Após estabilizar, insulina!!

 

  • abaixo de 50 ml/dl - ingestão de 3 pacotes de açúcar + lanche

                   Nota: Após estabilizar, insulina!! 

 

  • em caso de desmaio - colocar açúcar nos lábios e injetar a injeção de emergência, chamar a linha de emergência e explicar a ocorrência. 

 

E assim me despeço.

Boas glicémias!

O medo e o Universo...

Não sei se vocês acreditam na lei da atração e na do retorno, se sim, este post é para vocês.

Cada vez mais o mundo da espiritualidade faz sentido na minha vida. Faz-me olhar e interpretar cada situação/acontecimento numa outra perspetiva. Não sei se tem haver com o facto de ser um pouco mais racional do que a maior parte das pessoas mas, cada vez mais, sinto que cada situação que nos acontece não é por mero acaso.

Gosto de falar nestes temas mas sinto que ainda a humanidade não está nem um pouco preparada para refletir neles com a devida atenção talvez até por preguiça de expandir os horizontes. No entanto, não os considero tabu mas sim algo que simplesmente é alvo de preconceito por ser uma temática um tanto ignorada e desconhecida pela maioria, culturalmente falando. Mas, está na hora de começar a falar mais sobre isto - LEI DA ATRAÇÃO e LEI DO RETORNO - e perceber o impacto que tem no nosso quotidiano mesmo sem darmo-nos de conta. 

Vou explicar sucintamente de que se trata ambas as leis, muito interligadas entre si, e relacionar, depois, com o tema de hoje, o MEDO, seja ele qual for. 

Primeiramente a Lei da Atração. Muito se pode dizer sobre ela mas a forma mais simples de a explicar é que atraímos tudo o que emitimos para o Universo. Não só conscientemente mas também (e sobretudo) inconscientemente. Daí a importância de trabalhar a mente para pensar de um modo mais positivo, o que não é fácil mas também não é algo impossível. Conhecem a frase: "Recebes aquilo em que te focas"? Não há nada mais simples que isso. O FOCO. Se nos focarmos nos nossos objetivos conseguimos alcançar mas agora se começarmos com rodeios e focarmos nos obstáculos que nos aparecem pelo caminho até aos nossos objetivos, então as dificuldades continuam a surgir de forma constante, como se de um ciclo vicioso se tratasse em que os nossos objetivos pareçam menos possíveis de alcançar. E tal acontece em todos os campos da nossa vida. 

De seguida, e não menos importante, quero falar brevemente sobre uma outra lei, a Lei do Retorno. A melhor forma de explicar esta lei é utilizar o exemplo de um Boomerang (e não estou a falar de uma funcionalidade do Instagram 😅). Quando atiramos um boomerang, ele volta sempre ao ponto de partida. Assim acontece com a vida e com esta lei. Deste modo, tudo o que manifestamos, seja por pensamentos ou até mesmo ações, volta da mesma forma e com a mesma intensidade para nós, quanto menos esperarmos por vezes, o karma sempre atua, nunca perdoa nem deixa passar nada em branco. Mas esta lei não atua somente quando fazemos algo de errado mas como também quando agimos corretamente e praticamos o bem. É assim que funciona a lei do retorno por isso, não se esqueçam de medir as vossas ações pois mais tarde ou mais cedo, tudo o que expressarem antes, volta para vocês. 

Mas o que tem haver estas duas leis com o medo? Tem TUDO HAVER! 

Como referi anteriormente, estas duas leis relacionam-se entre si e atuam de forma igual em qualquer situação da nossa vida. Assim sendo, o MEDO de algo ou de alguém, atrai essa situação. Vou dar-vos um exemplo claro que pode ser facilmente aplicado na nossa vida nas mais diversas circunstâncias: o medo de perder algo ou alguém, ao emitir para o Universo essa energia de forma consciente ou até mesmo inconsciente, o Universo vai agir de forma com que aconteçam uma série de peripécias até chegar a esse "objetivo" pois o foco consiste no medo.

É bom referir que o Universo capta tudo e não distingue o que é positivo ou o que é negativo, não há uma filtragem por parte dele. Tudo o que emitimos para o Universo, por mais inconsciente que seja, tiver intensidade, este nos irá retribuir com tal intensidade, como se dissesse "seja feita a sua vontade". Deste modo, convém alertar para tomar cuidado pois quando temos medo de perder, por exemplo, é quando perdemos. 

Que possamos ser sempre positivos, manter o foco no que queremos para a nossa vida sem passar por cima de ninguém, que sejamos sempre fonte e desejaremos o bem para que o Universo possa retribuir com tudo o que há de melhor na vida. Não há que ter medo, há que ter atitude. Mudar estes sentimentos de insegurança e negatividade para uma vida mais plena. 

Vale a pena pensar nisto!

Review | Maybelline Instant Anti Age Eraser Concealer

Vamos falar de maquilhagem? Ultimamente tenho testado coisas "novas" na minha maquilhagem. Aliás, podem até não ser novidade mas, uma pessoa fica curiosa ao ponto de experimentar assim que acaba o stock. Recentemente experimentei o tão falado, conhecido e adorado corretor da Maybelline, digamos que se trata (talvez!) do best seller da marca e eu tive que testar e ver como resultava comigo. 

Quanto a maquilhagem, eu sou muito exigente nos critérios na altura de avaliar os produtos. E no fim de contas, quando não quero falhar miseravelmente, tenho sempre aquela lista de produtos que eu sei que nunca irá me desiludir. No que toca a corretores, a exigência aumenta pois, na verdade, é ele que me vai salvar das olheiras e de uma ou outra imperfeição que teima em aparecer. E como ouvi falar milagres deste produto, decidi testar e contar-vos a minha opinião. 

Primeiramente devo um pedido de desculpas por não se tratar de uma imagem da minha autoria do produto mas ele "voou" para o lixo depois de terminado. Eis o produto em questão, uma embalagem básica com um sistema de aplicação diferente graças à esponja no topo, em que basta rodar para sair produto. Esta embalagem contem 6,8 ml de produto e na sua composição contém bagas de goji e haloxyl, que prometem corrigir as imperfeições e a esconder as olheiras enquanto trata das mesmas. Escolhi no tom 01 Light pois é a cor que melhor se adapta a mim. 

Na minha opinião, este produto é um pouco overrated ficando muito aquém das expectativas. Uma desilusão, a meu ver. Começo por falar no aplicador, torci o nariz mas depois me habituei à ideia, no entanto, não é dos meus preferidos, longe disso. Depois, quanto à fórmula em si, dei uma e outra oportunidade, mas nunca cheguei a perceber como o aplicar de "forma correta". Percebi que se aplica diretamente na pele, é um facto, mas ao espalhar, testei de diferentes formas, desde diferentes pincéis próprios de corretor, como beauty blender e até mesmo com os dedos mas, o resultado não me agradou de todo. Quer dizer, de todas as formas de como o espalhei, admito que o que mais gostei foi com os dedos mesmo assim, senti falta de cobertura e pigmentação do produto. Confesso-vos que não tenho as piores olheiras de sempre mas com este corretor, senti que, ao invés de corrigir, aprofundou-as mais tornando-as um bocado mais escuras. Com isto, não consigo precisar se a fórmula realmente faz alguma diferença e é algo revolucionário. Sem falar que, no final do dia, senti que ele não estava uniforme, estava a acumular-se nuns sítios e noutros não havia qualquer resíduo de produto. 

Quanto ao veredicto final, acho que este produto, por 9,79€ (na Pluricosmética), é um pouco overrated a nível de qualidade-preço. Sinto que há outros corretores melhores no mercado com preço igual ou inferior a este e que compensam mais, exemplos disso são: Camouflage + Matt Concealer da Essense (3,59€ na Well's) ou  Conceal & Define Concealer da Makeup Revolution (4,99€ na Well's - review aqui). Eis a minha sincera opinião, não sei se o problema foi meu mas para mim este corretor é um GRANDE NÃO. Fiquei desiludida uma vez que há tantas pessoas que o usam e o adoram! 

Quem mais testou? O que acharam? 

 

 

(Imagem: Google) 

A primeira já está!

Hoje foi a minha vez. Quando dei por mim lá estava eu, com uma agulha espetada no braço a levar a minha primeira doze de esperança da Pfizer. Não há palavras para descrever o que senti naquele momento. Senti que finalmente pude ver a luz ao fundo do túnel, que dei um paço rumo ao início do fim de todos estes tempos atribulados que estamos a viver. Houvera inscrito-me no portal da saúde, mas, mesmo sem resposta, um anjo, no qual estou eternamente grata, uma amiga minha, deu-me um contacto para agendar. 

Liguei uma vez, estava indisponível, aguardei. Quando ia ligar uma outra vez, recebo a chamada de volta, atendo sem hesitar. Mal digo que gostaria de agendar a minha vacina, do outro lado da linha recebo a resposta "temos uma vaga para agora, tem disponibilidade?" respondi prontamente com um "sim" com um entusiasmo tal que nem eu própria sei de onde vinha. Em 20 minutos estava lá, toda feliz da vida, com um sorriso de orelha a orelha mesmo com uma máscara a cobri-lo. Finalmente haveria chegado à minha vez, estava emocionada, mesmo indo às cegas quanto à vacina que iria levar, estava a torcer que fosse a Pfizer, não duvidando da qualidade das restantes aprovadas pela UE (União Europeia), atenção. 

Quando soube que era mesmo essa que iria levar, quase que cresci dois metros de tanta felicidade. Não doeu, esperei os meus trinta minutos e agora vos escrevo a partir de casa, a torcer igualmente que o meu corpo/organismo reaja bem à vacina nos próximos dois dias. A ver vamos. No entanto, a primeira já está e não consigo conter tanta a alegria que há em mim pela tão desejada vacina que veio aumentar a esperança de um dia de amanhã mais para o "normal". 

Vacinem-se! É seguro, rápido e a nossa única arma para travar esta pandemia! 

A autora

foto do autor

Translate

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub